Ações da Petrobras: não compre PETR4 antes de ler essa análise completa

Guia completo para saber se é hora de investir em Petrobras (PETR4/PETR3). Alta e queda dos papéis, plano de desinvestimento, preço do petróleo e tudo mais que impacta a companhia está aqui.

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
Ações da Petrobras: não compre PETR4 antes de ler essa análise completa

Você sabia que as ações da Petrobras (PETR4) subiram mais de 100% em 2016? E que você pode buscar retornos expressivos também?

Alguém colocou as ações da Petrobras (PETR4) em uma montanha russa. Nos últimos anos, a estatal sofreu com uma má gestão combinada a escândalos de corrupção e uma economia em recessão.

Imagine que com isso, o carrinho das ações deu um mergulho que revirou o estômago de todos investidores que estavam a bordo. Foram vários loopings nada divertidos.

Antes de continuar lendo este artigo é importante saber que o mercado de ações envolve riscos. Talvez este texto não seja para você, a não ser que você queira aumentar (e muito) o potencial de retorno dos seus investimentos.

Como dito, esse grande mergulhou passou, e o ano 2016 foi a hora do carrinho das ações da Petrobras subir. Elas foram da bagatela de R$4,41 em janeiro para R$14,78 em dezembro.

Para você ter uma ideia, caso você tivesse investido R$20.000 em ações da Petrobras (PETR4) em janeiro de 2016, ao vender os papéis no final do ano, teria o total de R$ 44.388 (rentabilidade de 121,94%).

O suficiente para comprar um HB20 e entrar o ano novo de carro zero ou viajar para Dubai com um acompanhante com passagem, hospedagem, translado e passeio por 7 dias (R$12.710), sobrando R$ 31.678 para gastar lá.

Tudo por conta das ações da Petrobras (PETR4).

Certo. Então, você deve investir tudo o que tem agora mesmo na Petrobras e começar a planejar as férias de fim de ano? Negativo.

Neste texto, vamos falar TUDO o que você precisa saber antes de comprar ações da Petrobras (PETR4).

Continue lendo para saber mais!

Análise Fundamentalista de PETR4 – Vai subir mais?

Como você deve saber: rentabilidade passada não é rentabilidade futura.

Não é porque um ativo subiu muito que ele continuará nessa escalada sem fim. Em geral, quanto mais um ativo subir, menos potencial de valorização ele tem.

Não sabemos se PETR4 continuará subindo, muito menos se voltará a registrar o ritmo de valorização de 2016.

Imagine que o mercado de ações é como um bairro residencial (a Bolsa de Valores). De um dia para o outro, acontecem diversos casos de violência nesse bairro e todas as casas são desvalorizadas (situação econômico e política do país).

Além disso, a sua casa neste lugar (ações da Petrobras) ainda sofre com dois outros problemas: vizinhos barulhentos e um problema de infiltração sério (má gestão e escândalos de corrupção).

Assim, pela combinação de problemas, a sua casa que valia R$ 500 mil, hoje é avaliada em R$ 250 mil. No entanto, você começou a reformá-la para resolver o problema de infiltração e aproveitando, investiu em um revestimento especial para paredes e janelas que isola a casa de qualquer barulho externo.

Com o passar do tempo, o seu bairro que estava muito perigoso começa a dar sinais de melhora (economia em recuperação) com uma presença mais ativa da polícia. Assim, a cotação da casa que estava lá embaixo, já voltou a subir e vale hoje R$ 400.000.

Isso não significa que o imóvel vai continuar se valorizando até R$ 1 milhão. Na verdade, analisando pelo histórico, a casa está no caminho do seu valor real. E é justamente isso que está acontecendo com a Petrobras.

Os papéis da estatal estavam desvalorizados porque tinham um problema estrutural em sua gestão. No entanto, a nova administração tem sido eficiente em comunicar e executar medidas para reforçar o caixa.

O que está acontecendo?

A Petrobras está focada na venda de ativos e, conforme esse processo se consolida, fortalece seu balanço, potencialmente acelerando o processo de redução da dívida – vital para a redução do custo de capital e consequente melhora do perfil de crédito.

O avanço nesse processo deve elevar a companhia a outro nível, destravando valor aos acionistas. Sendo assim, se esse processo realmente for levado adiante, quem já tem uma boa quantia de ações da Petrobras (PETR4) pode ganhar mais.

Ou seja, a companhia, assim com a casa do exemplo, ainda possui uma boa margem e perspectiva de crescimento.

A questão é saber se esse processo continuará.

O que mudou na administração da Petrobras?

Quem quer começar a investir em ações tem a tendência de pensar nos papéis das grandes empresas como PETR4, entendendo que são opções melhores devido ao tamanho, projeção e solidez.

É uma empresa muito popular, assim, possui uma alta liquidez, permitindo uma negociação rápida.

A Petrobras é responsável pela extração, refino, comercialização, petroquímica, transporte, gás natural, distribuição de derivados e produção de biocombustíveis. A empresa desempenha atividades em dezenas de países, chegando a produzir milhões de barris de combustíveis e de petróleo por dia.

Grandes empresas que lideram o seu mercado, quando têm uma gestão eficiente, costumam apresentar ótimos resultados.

Todavia, como vimos, a má gestão combinada à corrupção e à crise financeira fizeram a cotação de PETR4 despencar.

Essa história começou a mudar quando Pedro Parente assumiu o posto de CEO da Petrobras.

Para confirmar o novo tom dessa gestão, Luciano Coutinho (que já foi presidente do BNDES) também deixou o seu cargo no Conselho de Administração da Petrobras.

A busca dessa nova administração passou pela profissionalização, atendendo as solicitações frequentes do mercado. Passos significativos foram dados no que se refere à melhoria de governança, corte de custos e política de preços dos combustíveis mais transparente, respeitando as referências internacionais de mercado.

A economia está saindo da recessão

Além disso, a economia vem ganhando fôlego e isso é ótimo para o plano de desinvestimento da Petrobras.

Há diversos ativos que podem ser vendidos e, mesmo havendo a necessidade de oferecer descontos significativos, o “megafeirão” é essencial para reforçar o caixa da companhia. O plano finalmente está avançando depois a aprovação do TCU (Tribunal de Contas da União).

A recente definição quanto à política de preço da gasolina e do diesel foi um passo importante e estratégico para a Petrobras.

Anteriormente, a falta dessa política gerava larga destruição de valor, já que havia longos períodos com preço abaixo da paridade, o que, efetivamente, gerava queima de caixa para a companhia.

Essa nova política de preços, além de reduzir a exposição à volatilidade, reforça o caminho para outras medidas estratégicas, como a própria venda dos ativos de refinaria.

Vale notar ainda que as ações de Petrobras são, para investidores estrangeiros, uma forma óbvia de adquirir exposição a Brasil. Se quiserem aumentar a exposição ao mercado brasileiro, um jeito rápido de conseguir isso é por meio de PETR4.

A companhia tem muita dívida a rolar, mas com uma economia melhor, tudo será mais barato e terá mais fôlego financeiro. Além disso, as chances de melhora operacional aumentam com um management com mais experiência de mercado.

Análise do cenário atual de Petróleo

O petróleo não vive seus melhores dias.

Ainda sim, estamos muito longe de uma crise. E o melhor indicador, para saber como anda a situação é o Estoque de Petróleo Bruto.

Este indicador é fornecido pela americana Energy Information Administration (EIA) semanalmente, e é o maior influenciador direto no preço do petróleo (e consequentemente, de PETR4).

O petróleo é uma commodity. Como tal, a sua variação depende de uma série de circunstâncias. A principal, que rege a maioria das cotações no mercado, é a lei da oferta e da demanda.

Apesar da Agência de Energia (AIE) afirmar que o mercado de petróleo está perto do equilíbrio, a oferta excedente ainda é uma realidade.

Além disso, fatores políticos e econômicos também afetam o preço do petróleo. Por exemplo, quando grandes economias consumidoras de petróleo desaceleram, o seu consumo diminuiu, e a cotação tende a cair porque a procura teve baixa, enquanto a oferta se manteve.

A tendência é quanto maior for a intensidade da produção de grandes potências como os países sauditas e os Estados Unidos, maior a tendência de queda.

Isso traz outro fator à tona: é ruim para a Petrobras a baixa da commodity, mas quando o produto se torna mais barato, a busca por energia alternativa se torna menos atraente, garantindo uma maior estabilidade para o mercado.

Como em todos os segmentos do mercado, o petróleo vive ciclos. É importante  identificar qual o ciclo atual e o que está por vir, para obter vantagens com a valorização da empresa.

Vantagens e desvantagens de comprar PETR4

A Lava Jato afetou, e muito, a Petrobras, nestes últimos anos. Um bom exemplo foi o dia depois da revelação de Joesley Batista, um dos donos da JBS, sobre o suposto envolvimento de Temer e seus aliados.

Esse 18 de maio histórico, na Bolsa de Valores, fez muitos investimentos despencarem de valor. As ações da Petrobras chegaram a cair 18%. Veja no gráfico.

O valor atual do Índice Bovespa opera quase 8% abaixo do estabelecido antes do vazamento do áudio.

Desde o mês de Maio, vivemos um período instável, e a Petrobras é, sem dúvida, uma das ações mais afetadas com esse cenário.

Quem tinha dinheiro à disposição e queria formar uma carteira de ações sólidas com PETR4, PETR3, VALE5, ITUB4 e outras pôde aproveitar uma ‘megaliquidação’ com diversos ativos que valem muito, custando pouco.

As ações da Petrobras ainda estão com um preço abaixo do seu valor patrimonial, mostrando o quanto foi destruído de valor na companhia nos últimos anos.

Confira a seguir algumas vantagens e desvantagens de possuir ações da Petrobras na carteira:

Vantagens de comprar PETR4

  • Apesar de todos os escândalos, a companhia tem uma grande quantidade de ativos de qualidade em seu portfólio, que, se bem geridos, podem trazer ótimos resultados para a companhia;
  • As ações estão descontadas em relação ao valor patrimonial, o que sugere um desconto aos preços atuais;
  • É líder isolada na extração de Petróleo no Brasil;
  • Com a exploração do Pré-sal, o Brasil tem potencial para triplicar sua produção de petróleo, e a Petrobras goza de privilégios nesta extração;
  • A empresa atua em diversos setores de exploração e produção, desde refino, comercialização, transporte, petroquímica, distribuição de derivados, gás natural, energia elétrica, gás-química e biocombustíveis;
  • No primeiro trimestre de 2017, a Petrobras registrou lucro líquido de R$ 4,45 Bi, o melhor resultado desde 2015. Um ótimo indicador para recuperação da companhia;
  • Nova governança corporativa baseada na independência da empresa em relação ao Governo;
  • É um dos papéis com maior liquidez do mercado de capitais (a qualquer momento é fácil e rápido montar ou desmontar uma posição, independente do preço da ação);
  • Economia em recuperação pode atrair investimentos internacionais (PETR4 é a forma mais rápida de investir no Brasil);
  • Nova política de preços mais ágil e efetiva, de acordo com a cotação do petróleo.

Desvantagens de comprar PETR4

  • Exposição a riscos políticos como o sucesso do Governo em aprovar medidas e reformas;
  • Pode voltar a ser utilizada como instrumento político, assim como ocorreu nos últimos anos;
  • Encontrar dificuldades em sua estratégia de venda de ativos.
  • Grande dívida lastreada no dólar (novas escândalos podem prejudicar a empresa, aumentando a dívida);
  • Pode não trazer retorno a curto prazo;
  • A redução no ritmo do crescimento Chinês, aliado a rumores de bolhas financeiras tornam incerto o futuro das Commodities em geral;
  • Falta de eficiência por parte da OPEP em controlar a produção, e consequentemente a oferta, de produção do petróleo, dificultando a valorização dessa commodity, afetando as cotações de PETR4;
  • Possibilidade de novos escândalos (a Petrobras está na linha de frente do mercado, sendo uma das primeiras cotações a sofrerem com problemas políticos).

O que é e como funciona o plano de desinvestimento da Petrobras

Esse é um fator que tem aumentado a confiança do mercado sobre a Petrobras.

Um plano de desinvestimento é a venda de ativos, como a Usina de Pasadena, equipamentos, participações em empresas, entre outros. Trata-se de uma maneira de encerrar posições de forma programada.

A Petrobras possui muitos ativos (refinarias e outros investimentos) que não são lucrativos. Assim, eles traçaram um plano de desinvestimento para transformar esses produtos em dinheiro para o seu fluxo de caixa, melhorando sua saúde financeira.

Esse é um plano dinâmico, que segundo a Petrobras, pode ser alterado de acordo com as condições do mercado e às sucessivas análises do portfólio, de forma aderente ao Planejamento Estratégico.

Mesmo assim, a execução de cada desinvestimento depende da evolução de negociações e aprovações. O TCU (Tribunal de Contas da União), por exemplo, barrou uma série de desinvestimentos em dezembro. A liberação ocorreu apenas em março deste ano.

Por fim, a Petrobras reafirma a manutenção da meta de parcerias e desinvestimentos estabelecida no Plano Estratégico de US$ 21 bilhões para o biênio 2017/2018.

Análise de Compra das Ações da Petrobras a longo prazo

Muitos analistas acreditam que a Petrobras é um iceberg, com a maior parte do seu valor escondido. Grande parte da oscilação se deve ao ceticismo gerado pelas notícias negativas da antiga governança.

Para eles, o que já foi citado e outros fatores levam a crer que a estatal vai ganhar muito valor em um ano ou mais.

Os fatores para isso são:

  • Plano de desinvestimento;
  • Corte de capex;
  • Corte de opex;
  • Redução da dívida;
  • Menor custo da dívida;
  • Melhoras na governança corporativa;
  • Alocação de capital mais inteligente;
  • Política de preços entrando em vigor;
  • Bons resultados operacionais.

Mas há sempre o risco de um ou mais desses fatores não se concretizar, o que certamente punirá a cotação das ações.

Análise de Venda das Ações da Petrobras a longo prazo

Neste segundo cenário, apocalíptico, teremos oportunidades boas para vendas das ações preferenciais da Petrobras.

A primeira recomendação, a curto prazo, acontece com a forte queda para baixo do preço de R$ 11,65.

Esta zona de preço é um forte suporte, e a perda deste suporte acarreta em pessimismo e venda de ações. A maior oferta em face da procura, leva os preços para baixo. Uma saída considerável seria no próximo suporte, por volta dos R$11,25.

Já para um investimento a longo prazo, temos boas notícias.

Caso venha a ocorrer esta queda em PETR4, os ganhos tendem a ser altos!

A entrada recomendada ainda seria na forte perda do suporte em R$ 11,65, porém, a saída da operação ficaria na casa dos R$ 9,91.

Opinião dos Analistas da Empiricus Sobre A PETR4

Na Empiricus, ainda observamos a ações PETR4 com cautela.

Apesar de todas as melhorias já registradas, como desalavancagem e redução de despesas e redução da interferência política, ainda consideramos que existam outras oportunidades bem menos arriscadas e mais atrativas no momento.

Além disso, não esperamos grande evolução nos preços do petróleo no mercado internacional, dadas as condições atuais de oferta e demanda desse mercado.

Por isso, mantemos a nossa posição neutra com os papéis PETR3 e PETR4.

Qual o momento certo para investir

Não se engane, Petrobras ainda pode voltar a ser uma empresa confiável e promissora.

Mas é preciso que a evolução – em termos de governança e operacional – observada nos últimos anos continue firme para nos anos que vêm pela frente.

Nas últimas semanas, o preço do papel foi bem descontado com o vazamento do áudio do Presidente Temer, o que criou oportunidades inesperadas de compras da ação.

Petrobras ainda é a principal empresa pública do país, produzindo diariamente, por volta de 2,8 milhões de barris de óleo!

Os balanços trimestrais melhoram a cada dia, reforçando o otimismo a longo prazo. Mas entendemos que o risco ainda é muito elevado comparado a outras oportunidades disponíveis hoje.

Fique Atento: PETR4 é um ativo que exige cautela graças a sua sensibilidade aos escândalos políticos e situação geral do país, e quando falamos de um investimento a longo prazo, seu investimento está mais sujeito a surpresas.

Como comprar ações da Petrobras

O processo de comprar PETR4 ou PETR3 é muito simples e pode ser feito até pelo celular.

Existem várias formas de investir em ações da Petrobras e em outras ações. Você pode fazer isso por meio de uma mesa de operações, por fundos de investimentos ou diretamente na Bolsa, com a ajuda de algum home broker disponibilizado por corretora ou banco.

A opção mais recomendada, por possuir taxas menores e mais agilidade, é o investimento por meio do home broker de alguma corretora independente. Essa é uma ferramenta completamente online. Os requisitos mínimos é ter um computador confiável e uma internet estável.

No entanto, também é possível emitir ordens de compra e venda pelo celular, dependendo da sua corretora.

Assim, você pode operar de qualquer lugar do mundo. O primeiro passo é escolher uma corretora ou banco de investimentos credenciado pelo Ibovespa. Saiba mais sobre isso.

Tome cuidado com os bancos, principalmente os grandes. Eles podem cobrar taxas abusivas para você investir no mercado de ações. Isso ocorre porque eles querem que o seu dinheiro permaneça com eles em seus CDBs e poupanças pouco rentáveis.

Para se tornar um investidor e aproveitar essa possível valorização a médio e longo prazo, você precisa seguir um passo a passo muito simples.

  1. Ter conta em uma corretora, independente ou de banco;
  2. Transferir o dinheiro para investir por meio de TED (o valor entra na hora);
  3. Estudar e traçar uma estratégia de investimento;
  4. Abrir o Home Broker;
  5. Dar a ordem para comprar ações;
  6. Observar o comportamento da cotação;
  7. Vender as ações e receber os lucros (ou esperar o stop e contabilizar a perda).

Nem sempre você vai ganhar no mercado de ações. Até os traders mais experientes amargam perdas. Entretanto, o que diferencia grandes operadores de iniciantes é que eles acertam muito mais do que erram.

Por isso, se você errar, não se preocupe ou se desespere, vendendo todos os seus papéis. O mais importante no mercado de renda variável é manter a calma.

No dia 18 de maio, quem perdeu o controle e deixou as emoções tomarem conta, provavelmente perdeu dinheiro.

Esse é o caminho mais rápido para o grande prejuízo.

É preciso ter sangue frio para no caso de eventos inesperados, ou cisnes negros como classifica Nassim Taleb, não cometer equívocos.

O maior erro dos iniciantes

Esse é um problema clássico. Um dos maiores erros dos iniciantes é achar que ficarão milionários da noite para o dia.

E sinto informar que não existe atalho para o primeiro milhão. Até mesmo no mercado com maior potencial de ganhos. Se você quer chegar lá, é preciso traçar uma estratégia sólida de investimentos, diversificando os papéis em carteira para mitigar os riscos.

Essa é uma atividade que envolve muita paciência,  controle e estudo.

No mercado de ações, você deve se portar de maneira profissional. Mesmo que você seja um investidor somente nas horas vagas.

Segurar os papéis por mais tempo do que deveria ou pior, não querer tomar um centavo de prejuízo e configurar seu stop loss em níveis não recomendados. Isso gera as famosas “violinadas”.

Assim, nunca invista algo em renda variável que você não está disposto a perder. E outra dica importante: nunca leve mágoa para casa.

Milhares de investidores sofreram grandes perdas e voltaram para o mercado no dia seguinte com o pensamento de que são obrigados a ganhar dessa vez para recuperar o prejuízo.

A melhor forma de evitar comprar e vender ações no momento errado é ter acesso à análises de qualidade, preparadas por profissionais altamente capacitados e independentes.

Este é justamente o propósito dos relatórios preparados pela equipe Empiricus. São séries completas, com tudo o que você precisa saber para investir em renda variável e obter o melhor retorno possível.

Em especial, na série As Melhores Ações da Bolsa, os analistas Bruce Barbosa e Ruy Hungria, buscam oportunidades de ganho real e mínimo de perda.

O conteúdo é adequado tanto para quem quer começar quanto para quem já investe na Bolsa.

Outra forma de ficar por dentro dos temas mais quentes do mercado é acompanhando as nossas newsletters, que de diariamente enviam para o seu e-mail tudo o que importa para seus investimento.

Quanto custa comprar ações da Petrobras

Existem algumas taxas no mercado de ações. Muita atenção a elas!

Além do preço das ações, existem outros custos envolvidos cobrados pela BM&FBovespa, Governo e corretoras ou bancos.

Não calcular essas taxas e custos operacionais pode comprometer totalmente a sua rentabilidade. Principalmente se você opera com pouco capital, como a maioria dos investidores que investem as próprias economias.

Acredite, não existe fórmula mágica na Bolsa de Valores. Pouco dinheiro trará sempre pouco retorno. Então, saiba quanto vai custar seus trades para saber quanto você precisa ganhar, na média, para não ficar no prejuízo:

Veja a seguir os principais custos:

Taxa de Corretagem

Essa é uma taxa destinada à corretora ou banco, como remuneração financeira pela intermediação entre a Bolsa e os clientes.

Ela é cobrada no momento da realização de um trade de compra ou venda de ativos. Assim, ela pode ser fixa (corretagem fixa) ou ainda, variável, de acordo com a porcentagem do volume do negócio realizado (corretagem variável).

As taxas variam muito entre as corretoras. Algumas oferecem planos para o investidor de acordo com a frequência que ele opera, tornando mais barata a transação caso ele faça muitos negócios.

Essa corretagem tem um acréscimo de impostos que também varia de acordo com a corretora e sua posição tributária. Normalmente, é de 5% referente ao ISS do Município de São Paulo, PIS de 0,65% e COFINS de 4,00%.

O custo por operação então, fica entre R$ 5 e R$ 20 por ordem de compra ou venda, sem os impostos.

Emolumentos

Eles são as taxas de negociação e liquidação, cobradas pela BM&FBovespa, sobre o valor financeiro da operação.

Veja a tabela retirada do site oficial da Bolsa de Valores.

Custódia

Esse é um custo cobrado pelas corretoras para manter seu cadastro e trades registrados em suas plataformas de home broker ou mesa de operações. O valor é destinado para cobrir custos operacionais junto à CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia).

Muitas corretoras não cobram essa taxa e outras ainda associam sua cobrança à quantidade de operações realizadas no mês. O valor costuma ser entre R$ 6 e R$ 10 ao mês, ou 0,30% do total ao ano.

Imposto de Renda

É impossível fugir do Leão como investidor da Bolsa de Valores. Para ganhos líquidos mensais de até  R$ 20.000 com ações, não há a cobrança de IR. Mas superando esse valor, você deve recolher o Imposto de Renda.

A alíquota é de 15% sobre a rentabilidade total. Ou seja, todas as suas perdas podem e devem ser subtraídas do lucro mensal. A responsabilidade desse recolhimento é sua.

Essa regra não se aplica caso você opere em day trade, negocie cotas dos fundos de investimento em índice de ações, resgate cotas de fundos ou clubes de investimento em ações, e alie ações efetivada em operações de exercício de opções e no vencimento ou liquidação antecipada de contratos a termo.

A corretora ou banco de investimentos deve fornecer a você uma relação das suas negociações (informe de rendimentos), mas é recomendável que você também tenha um controle próprio.

Esse tributo não é pago anualmente, na declaração de ajuste. Mas ainda assim deve ser declarado no IRPF na seção de ‘Rendimentos Isentos e Não Tributáveis’ ou ‘Operações Comuns / Day-Trade’ caso sejam operações iniciadas e finalizadas no mesmo dia.

Assim, o tributo é calculado em bases mensais (resultado de todos os ganhos e perdas no mês nas operações nos mercados à vista, de opções, futuro e a termo) e deverá ser recolhido até o último dia útil do mês subsequente ao da venda das ações, identificando no DARF o código de arrecadação nº 6015.

Dividendos obtidos de posições de longo prazo são isentos de impostos de renda.

Conclusão

Como vimos, as ações da Petrobras dependem de uma série de fatores para aumentar de valor. Estas são questões políticas e econômicas imprevisíveis a médio e longo prazo.

Nossa recomendação é que você opte por outros investimentos na Bolsa de Valores que já possuem um cenário de valorização mais desenhado.

Continue aprendendo com outros artigos da Empiricus:

Em um cenário de  cortes da taxa básica de juros e redução da inflação, o investimento que mais será beneficiado serão as ações da Bolsa.

Assim, o mercado como um todo está em uma tendência positiva. Isso não quer dizer que você pode comprar qualquer ação, esperando uma valorização. É preciso saber quais são os papéis com maior potencial segundo uma análise fundamentalista e técnica.

E claro, aprendendo com os ciclos que passaram e adquirindo experiência. Você não precisa passar por isso sozinho. A Empiricus está aqui para mostrar o melhor caminho.

O nosso objetivo é ajudar você nessa busca. Saiba como ter o apoio da Empiricus em sua formação e manutenção de carteira.

 

 

Conteúdo recomendado