LTN – Tudo o que você precisa saber para investir

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
LTN – Tudo o que você precisa saber para investir

Você sabia que, nos últimos doze meses, a LTN já acumulou mais de 24% de rentabilidade?

No Tesouro Direto você tem até três opções de investimentos. Entre elas a LTN (prefixada), a LFT (pós-fixada, indexada à taxa Selic) e a NTN-B (indexada à inflação).

Agora você se pergunta, mas qual a melhor opção? Isso vai depender do objetivo de cada um.

Neste artigo, vamos falar sobre as Letras do Tesouro Nacional (LTN), títulos com rentabilidade definida já no momento da compra. Dessa forma, o investidor consegue saber o que irá receber na data de vencimento.

O que é LTN?

LTN é o título prefixado do Tesouro Direito. Veja a explicação sobre o funcionamento desse tipo de título com a nossa especialista no assunto, Marília Fontes.

Este papel se tornou muito popular entre os investidores mais conservadores, por ser um título pré-fixado e com rendimento superior a 10% em comparação à poupança.

Por não estar atrelada a nenhum outro indicador e possuir uma rentabilidade prefixada, elas são indicadas para aqueles que acreditam que a taxa de juros preestabelecida vai ser maior que a taxa de inflação (IPCA ou IGP-M) ou que a taxa básica de juros (SELIC).

As LTNs possuem movimentação simples: uma aplicação e um resgate. Dessa maneira, o investidor consegue saber o valor bruto a ser recebido na data do vencimento do título.

Como funciona os investimentos em Letras do Tesouro Nacional

Nos últimos dois anos, muitas pessoas saíram da poupança, que oferece baixa rentabilidade, para investir em tesouro direto. Que também é uma renda fixa com valores bastante acessíveis, a partir de R$ 30 você pode adquirir um título.

Segundo os últimos três relatórios emitidos pelo Tesouro Nacional há, mensalmente, a entrada de 60 mil novos investidores. Como você pode perceber, é um investimento com cada vez mais destaque em termos de renda fixa.

Antes de investir em um título prefixado, o investidor deve consultar a tabela de preços e taxas de juros dos títulos públicos.

Quando você aplica no Tesouro Direto, é como se estivesse emprestando dinheiro para o Tesouro Nacional financiar investimentos em projetos do Governo Federal..

É muito simples entender como funciona essa aplicação. É como quando você pega dinheiro emprestado de um banco e precisa pagar uma taxa mensal mais os juros.

A diferença é que como a pessoa física não possui a solidez de uma grande instituição, os juros cobrados pelo banco são bem maiores, devido ao risco que ele corre de o cliente não pagar o empréstimo. Uma vez que o risco de o governo dar calote em alguém é bem menor, a taxa de juros também é mais baixa.

Quer saber o que precisa para investir no Tesouro Direto? Vamos lá…

O primeiro passo é que o investidor possua o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e uma conta corrente em alguma instituição financeira do Brasil.

Todas as transações são realizadas pela internet e não precisa de muito dinheiro para começar. Existem títulos a partir de R$ 30,00 em investimentos de curto, médio e longo prazo.

Feito isso, o investidor precisa se cadastrar em um dos Agentes de Custódia habilitados pelo Tesouro Nacional.

É possível realizar a compra de títulos de três maneiras:

  • Direto no site: acessando o ambiente restrito no site e comprando os títulos públicos.
  • No site do Agente Custodiante: com os mesmos preços e taxas do Tesouro Direto, alguns bancos e corretoras disponibilizam, através do home broker, as negociações de títulos.
  • Autorizando o Agente Custodiante: ele irá realizar a compra de títulos públicos em seu nome.

Vantagens e Desvantagens das LTNs

Antes de investir é preciso entender as vantagens e desvantagens da LTN

Quer entender por que deve investir em Letras do Tesouro Nacional? Confira abaixo, os dois lados, e tire suas conclusões:

Vantagens das LTNs

  • Facilidade: não é preciso sair de casa para realizar as transações, uma vez que podem ser feitas pela internet. O fluxo do investimento é simples, com uma aplicação e um resgate.
  • Acessibilidade: com apenas R$ 30,00, qualquer pessoa com CPF e conta em alguma instituição financeira consegue investir no Tesouro Direto.
  • Segurança: são considerados os ativos de menor risco da economia, uma vez que o Governo Federal garante o seu pagamento.
  • Liquidez: é possível realizar o resgate antecipado dos títulos todos os dias, a preço de mercado.
  • Independência: autonomia para planejar seus investimentos sabendo a rentabilidade exata que será recebida no dia determinado, além da opção de várias datas de vencimentos, que você pode adequar à sua necessidade financeira.

Desvantagens das LTNs

  • A liquidação antecipada pode gerar lucro, mas também prejuízo. Isso vai depender de cada caso.
  • A taxa é fixa, outros títulos podem oferecer rentabilidade maior.
  • Não há flexibilidade na venda. Você só pode vender antes do vencimento a taxa de mercado.

Como funciona a rentabilidade das LTNs

Em LTN a rentabilidade é estabelecida no ato da compra do título

A rentabilidade dos títulos prefixados, o caso das Letras do Tesouro Nacional, já é conhecida no instante da compra, desde que o investidor permaneça com ele até o seu vencimento.

O fluxo de pagamento da LTN é muito simples. O investidor realiza a aplicação e recebe o valor investido somado à rentabilidade na data do vencimento do título.

Para calcular a rentabilidade você precisa dividir o preço de venda pelo preço da compra (aquele que você pagou no título) e do resultado subtrair 1.

Exemplo: Rentabilidade = (preço de venda/preço de compra) -1

                  Rentabilidade = (1.000,00/755,00) = 1,32450 -1 = 32,45%

Entre a data da compra e a data do vencimento há uma flutuação do preço, devido ao comportamento das taxas de juros futuras e das condições do mercado.

Uma queda na taxa de juros de mercado em relação à taxa que foi comprada irá provocar um aumento no preço do título. O contrário também pode ocorrer.

Para calcular o valor líquido que irá receber pelo investimento, basta abater as taxas devidas para o Agente de Custódia e para a BM&FBovespa e o imposto de renda.

Para receber o valor correspondente à rentabilidade acordada no ato da compra, o investidor precisa ficar com o título até a sua data de vencimento. Porém, em caso de venda antecipada, o Tesouro Nacional irá recomprar esse título de acordo com seu valor de mercado.

O último balanço divulgado pelo Tesouro Nacional, este título mostrou rentabilidade de 24,86% nos últimos doze meses, sendo um dos destaques entre os demais papéis.

Quais os riscos de investir em Letras do Tesouro Nacional?

Mesmo sendo muito segura, a LTN também possui alguns riscos

Ao investir em LTN, além de ser uma renda fixa pré-fixada, conforme explicamos anteriormente, a instituição emissora é o Tesouro Nacional pertencente ao governo federal. Logo, o risco é baixo.

Se você estiver disposto a esperar até a data do vencimento do título, para fazer o resgate, não importa se os juros vão aumentar ou diminuir, você receberá o valor acordado no ato da compra.

E para conferir mais segurança ainda, para valores de até R$ 250 mil, há a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), mesmo sendo muito baixo, caso o país quebre, você não perderá o dinheiro investido.

Vale a pena investir no Tesouro Direto?

Vale a pena investir no TD em longo prazo

Em 2016, o Tesouro Direto foi considerado o queridinho dos investidores, pois rendeu no mínimo 10% a mais que a poupança.

Para 2017, a perspectiva foi a mesma, uma vez que os rendimentos do TD ficarão acima da inflação.

O investimento no Tesouro Direto vale a pena para quem:

  • Pode esperar o vencimento do título para realizar o saque. Como ele cobra imposto de renda e IOF, quanto maior o prazo para resgate, menores as alíquotas.
  • Investe sem fazer o acompanhamento diário. Como os títulos públicos possuem volatilidade baixa, não necessitam de acompanhamento intenso. Já no caso dos pré-fixados é importante ter cautela caso queira vendê-los antes do vencimento.
  • Investe pouco e busca boa rentabilidade. Tanto para quem aplica o mínimo (R$ 30,00) ou o máximo (R$ 1 milhão) o percentual de retorno é igual.
  • Procura segurança e rentabilidade média, sendo mais interessante que a poupança.
  • Busca diversificação dos investimentos, reduzindo o risco da carteira como um todo.

Quem deseja um retorno alto ou então precisa do dinheiro no curto prazo não deve investir no Tesouro Direto.

Tesouro Direto frente a outros investimentos de Renda Fixa

O melhor investimento pode variar de acordo com o perfil de cada um

Os investimentos de renda fixa: poupança, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) e Certificado de Depósito Bancário (CDB) são aplicações em que o investidor empresta o dinheiro para o banco, por um determinado período de tempo, em troca de retorno financeiro.

Já o Tesouro Direto, cujo investimento mínimo a partir  de R$ 30,00, é emitido pelo Governo Federal.

Veja a seguir as principais características de investimentos que podem em certo momento competir com o Tesouro Direto.

LCI e LCA: há diferença básica entre as duas é que os recursos captados têm destinos distintos.  Ambas servem como um empréstimo do investidor para o banco, e este, por sua vez, empresta para para o setor imobiliário (LCI) e o agronegócio (LCA). Na data do vencimento, determinado na compra, o investidor recebe o valor aplicado mais o rendimento. uma grande vantagem é que não há incidência de imposto de renda sobre esses produtos.

CDB: um dos investimentos mais conhecidos da renda fixa, possui taxas pré ou pós-fixadas. É como se você emprestasse dinheiro para um banco e recebesse juros pelo empréstimo. Ele tem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito em até R$ 250 mil, assim como as demais aplicações de renda fixa.

Poupança: é o investimento mais popular do Brasil. Na poupança o resgate pode ser feito diariamente, porém a rentabilidade é computada apenas na data do aniversário da aplicação. Caso o aplicador retire antes desse dia, perderá o dinheiro ganho no mês.

Para pessoa física a poupança é isenta de IR e IOF. Já para pessoa jurídica a alíquota é de 22,5%.

Como escolher a melhor opção de investimento?

É importante saber qual a quantia disponível para investir, assim já elimina algumas aplicações. Avaliar se vai precisar de liquidez ou não e determinar o prazo que conseguirá ficar sem mexer nesse dinheiro. Escolher entre títulos pré ou pós-fixados. Analisar as tributações e os índices da Selic e da inflação.

Uma boa dica é diversificar as aplicações para rentabilizar ainda mais o portfólio .

Optar por um ou outro investimento não é uma decisão tão simples de ser tomada. O ideal é que você realize uma análise e, de preferência, peça a ajuda de um especialista.

Quais tipos de títulos do Tesouro Direto

Os títulos do TD podem ser divididos entre prefixados e pós-fixados. Vamos falar um pouco sobre cada um deles a seguir.

Títulos prefixados

Para quem acredita que a taxa prefixada vai ser maior que a Selic. Nesse investimento é possível saber o valor que será recebido na data do vencimento do título.

  • Tesouro prefixado (LTN): resgate simples, ao final da aplicação, e mais indicado para quem pode esperar até a data de vencimento. Caso o investidor queira vender o título antes do prazo, o TD comprará pelo valor de mercado.
  • Tesouro prefixado com juros semestrais (NTN-F): pagamento de juros a cada seis meses e por isso é indicada para quem deseja complementar sua renda. Nesses pagamentos há incidência de imposto renda, de acordo com a tabela regressiva.

Títulos pós-fixados

Nesse caso a rentabilidade da aplicação é determinada pela taxa pré definida no ato da compra mais a variação do indexador (IPCA ou Selic).

  • Tesouro Selic (LTF): rentabilidade indexada à taxa de juros básica da economia e indicada para um perfil mais conservador. É mais interessante para quem pode esperar o vencimento da aplicação.
  • Tesouro IPCA+ com juros semestrais (NTN-B): rendimento composto pela taxa de juros prefixada mais a variação da inflação. O pagamento dos juros se da a cada seis meses.  
  • Tesouro IPCA+ (NTN Principal): possui rentabilidade real, aumentando o poder de compra do seu dinheiro. Indicado para quem deseja guardar com objetivos em longo prazo (compra de imóvel ou aposentadoria). O pagamento é simples, com o valor investido mais a rentabilidade na data do vencimento.

Tributação

No Tesouro Direto pode haver cobrança de IOF e IR

Existem dois tipos de impostos que podem ser cobrados nas aplicações do Tesouro Direto.

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é cobrado apenas em aplicações de curto prazo, ou seja, 30 dias. No primeiro dia o percentual cobrado é de 96% e vai caindo numa sequência 3-3-4. No 30० dia de investimento ele chega a 0%.

Já o imposto de renda (IR) é cobrado de forma regressiva, de acordo com a duração da aplicação. Ele incide sobre o total de rendimentos no Tesouro Direto e é cobrado no vencimento do título, nos juros semestrais ou na venda antecipada.

No tesouro prefixado a incidência do imposto de renda é:

  • 22,5% para aplicações conservadas por até 180 dias;
  • 20% para aplicações conservadas entre 181 e 360 dias;
  • 17,5% para aplicações conservadas entre 361 e 720 dias;
  • 15% para aplicações conservadas para um prazo superior a 720 dias.

Você ainda pode pagar a taxa de administração. Algumas instituições financeiras cobram esta taxa anual para que o investidor consiga movimentar, adquirir e resgatar o seu investimento. Varia de acordo com a corretora/banco.

É possível evitar este tributo, abrindo uma conta em uma instituição onde não há cobrança de taxa de administração. Hoje em dia, em muitas delas, você consegue operar de forma gratuita no Tesouro Direito e/ou renda fixa.

Conclusão

Analisando o conteúdo podemos chegar à conclusão de que investir nas LTNs é benéfico para aqueles que podem esperar mais tempo para resgatar o valor aplicado, ou seja, no longo prazo.

Para quem já possui uma reserva no Tesouro Selic, os títulos prefixados podem ser um ótimo investimento.

Antes de realizar qualquer investimento, é importante avaliar a rentabilidade e deduzir o IPCA atual e o imposto de renda.

Se você tem o perfil de investidor em Letras do Tesouro Nacional, vale à pena seguir adiante, uma vez que o negócio é prático, seguro e rentável.

Continue aprendendo sobre renda fixa, lendo estes outros artigos:

Conteúdo recomendado