S01E17 – Yippee Ki-yay, motherfucker

nosso analista com cara de mau embarca em um faroeste para te salvar de maus conselhos financeiros.

S01E17 – Yippee Ki-yay, motherfucker

Meu pai sempre adorou uma boa história de bandido x mocinho. Me contava empolgado sobre quando ia ao cinema ver filmes emocionantes de “capa e espada” como Os Três Mosqueteiros ou As Aventuras do Capitão Blood, pirata que conquistou a fama muito antes de Jack Sparrow começar a beber rum.

De todos, o que ele mais gostava era o faroeste. Adorava aquela pegada do fora da lei honrado, que protegia as mocinhas indefesas, roubava o banco e ainda expunha todos os ardis do xerife corrupto.

Depois de muitos tiros e brigas, o herói solitário sobe em seu cavalo e caminha pelo deserto em direção ao pôr do sol. “Yippee-ki-yay, motherfucker” diria John McClane, em uma releitura de faroeste mais moderna e “do meu tempo”.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

Me lembro como se fosse ontem, estávamos parados no posto (encher o tanque do carro é uma atividade que demora uma eternidade se você for uma criança de 8 anos) quando meu pai começou a me contar a história de Sete Homens e Um Destino, clássico de 1960 com Yul Brynner, Steve McQueen e Charles Bronson – difícil ficar melhor do que isso!

Moradores de um vilarejo mexicano pobre atravessam a fronteira em busca de proteção: oferecem todo o pouco que têm a um grupo de pistoleiros mercenários, acostumados a trabalhar com quantias bem mais expressivas.

“Já me ofereceram muito dinheiro, mas nunca tudo que tinham.”

Chris acaba aceitando o trabalho e nossos sete anti-heróis rumam ao Sul, para enfrentar Calvera e seu bando opressor – qualquer semelhança com Os Sete Samurais não é mera coincidência!

A lição valiosa que meu pai me passou naquele dia foi de que se deve dar valor àquilo que você tem, mesmo que se tenha menos do que o seu coleguinha.

Obviamente, isso também vale para os seus investimentos.

Não importa se você tem três mil ou um zibilhão de reais.

Não faz nenhum sentido pensar “se eu perder, vai ser pouco”.

Claro que não!

Se você perder seus três mil reais, você perdeu tudo o que tinha!

Sempre falei por aqui que é preciso conhecer os riscos e saber minimizá-los. Por definição, não existe risco maior do que perder TUDO!

Se tem pouco dinheiro, em vez de correr MAIS riscos, prepare-se para ter alguma coisa e certifique-se de que essa alguma coisa seja “um pouco menos pouco dinheiro”, se é que isso faz algum sentido.

Estamos no jogo da acumulação de patrimônio e não no jogo do “dane-se, sou pobre e vou continuar sendo pobre para sempre”.

Por outro lado, não quero iludir ninguém.

Digamos que invista os três mil reais no Tesouro Direto – já adianto que sua vida não vai mudar.

Em 40 anos, você vai conseguir juntar uns 15 mil reais e, com isso, vai poder fazer uma viagem bacana, por exemplo. De qualquer forma, seu patrimônio terá se multiplicado em 5x e isso já é digno de nota.

Muito melhor do que sair por aí seguindo conselhos desatinados e perder esse dinheiro em troca de nada.

Bom mesmo seria se você conseguisse juntar um pouco por mês, quem sabe 100 reais?

Aplicando da mesma forma conservadora, ao fim de 40 anos, você teria mais de 130 mil reais. Ainda não seria rico, mas já é uma quantia bastante significativa, não?

E isso partindo de três mil reais mais 100 reais por mês!

Perceba como investir é um jogo de paciência e, pela lindeza dos juros compostos, mesmo uma quantia relativamente pequena, de 100 reais todo mês, pode fazer uma diferença brutal ao longo do processo.

Se forem mil reais ao ano (separar um pedaço do 13º), você chega ao fim da brincadeira com quase 100 mil reais, nada desprezível!

No meio do caminho, você, já com um patrimônio maior, poderia começar a diversificar, dedicar uma parte de seu portfólio a ativos com maior risco e melhor retorno e, quem sabe, se aposentar com uma graninha interessante.

Investir é uma questão de readequar hábitos, começar a poupar, estudar e se informar sobre esse “mundo novo”.

É como entrar em forma.

Não adianta passar um mês inteiro na academia e tomar todos os sucos com couve, gengibre e agrião que aparecerem na sua frente.

Tudo que vai conseguir é desanimar porque não emagreceu nada e acabar se entupindo de pastel e chocolate.

O que funciona mesmo é fazer um pouco de exercícios todo dia, mudar alguns hábitos alimentares e esperar que os resultados venham no longo prazo.

Da mesma forma que não existe uma fórmula mágica para emagrecer, não tem porque sair fazendo loucura com seu dinheiro.

Claro que existem estratégias arriscadas que podem multiplicar seu patrimônio (falei bastante sobre isso na semana passada), mas você tem que colocar só uma pequena porção da sua grana nisso, com a maior parte é melhor ser conservador e garantir, aos poucos, o seu futuro!

Na Empiricus, a gente tem dois produtos bem legais que ensinam a gerir o seu dinheiro, seja ele muito ou pouco.

Os moradores do vilarejo mexicano não ficaram parados esperando a situação se resolver, eles pegaram em armas, brigaram e lutaram pelo futuro.

Está na hora de você fazer o mesmo!

Ninguém vai fazer isso por você, amigo(a).

Assine o Você Investidor e/ou o Tesouro Empiricus e assuma o controle das sua finanças. Chega de reclamar da vida e da falta de dinheiro!

Prepare-se para o futuro!

 

Links Recomendados

:. Fim de festa

:. A Selic está caindo, e agora?

Conteúdo relacionado