As ferramentas da reconstrução da economia

Não podemos utilizar velhos recursos em novas administrações.

As ferramentas da reconstrução da economia

Página virada, e esta página está em branco, mas as folhas passadas não podem ser apagadas.

O novo Ministério da Fazenda (e Banco Central) precisará de esforço extra para recuperar a economia depois dos anos de inconsequência. Isso a gente já sabe, mas como?

O abuso de determinadas ferramentas para estimular a economia no passado deixa os novos dirigentes em uma corda bamba. Ainda que seus nomes inspirem confiança, não podem se utilizar de velhos recursos.

 

Algumas coisas que eu NÃO gostaria de ver dentre as medidas:

– Estímulo ao crédito – por mais bem desenhada que possa ser, essa medida marca os anos de fracasso de política econômica;

– Qualquer coisa que envolva o BNDES;

– Definição de teto de gasto sem CORTE de despesa obrigatória;

– Qualquer coisa que mexa nas reservas;

– Queda da Selic neste ano (essa vai acontecer, mas eu continuo não concordando).

 

Não é hora de planos mirabolantes, vamos direto ao ponto.

Conteúdo relacionado