As notas de rodapé que formam o Brasil

As trapalhadas custam caro

As notas de rodapé que formam o Brasil

“Nobody said it was easy

Por isso Coldplay é a minha banda favorita, frases simples com significados completos.

 

Alguém achou que o processo de impeachment seria fácil e sem emoção? Dilma desistiria facilmente da faixa que pertence ao seu partido há 13 anos?

É agora que as medidas mais desesperadas serão colocadas em prática. Os planos A, B, C, D e E já deram errado e quanto mais corremos pelo alfabeto, de mais baixa estirpe são os planos.

Temos mais 3 dias para chegar no plano Z.

O problema não são as notas de rodapé que este processo nos deixa, como a escrita hoje pelo deputado Waldir Maranhão ao tentar anular a votação do impeachment na Câmara. O problema é o quanto elas custam para a economia brasileira.

Tentar anular uma votação na câmara, deste porte e com o tamanho da aderência que teve, é minar um pouco mais a confiança no funcionamento do país.

É atestar ainda mais para o mundo que corriqueiramente tomamos decisões desesperadas e equivocadas, e o custo disso é refletido nos juros, inflação e queda de investimentos que culminam em desemprego.

Por essas e outras que não temos mais margem para confusões, enganos e equívocos. Temer deve ter apenas one-shot para mostrar porquê está lá.

 

É a chance de começar de novo com passos pequenos.

Oh, take me back to the start

Conteúdo relacionado