Não deveria, mas vai

É prudente promover cortes na Selic?

Não deveria, mas vai

É provável que o Banco Central corte juros este ano.

Mas isso é o melhor para a economia?

Nos últimos dias saíram notícias que trazem mais riscos para os preços: negociação de reajuste das operadoras e seguradoras de saúde, medidas provisórias (MP 706) e indenizações que promovem mais tarifaços na conta de energia, além de alguns reajustes salariais que pipocam (como dos motoristas de ônibus) que eventualmente culminam em aumento de tarifa.

Apesar da recessão claramente exercer pressão desinflacionária, na minha opinião não é prudente promover cortes na Selic agora.

Nossa economia ainda é altamente indexada, ou seja, a inflação passada tem influência na inflação futura. Neste ano pagaremos as contas do ano passado, quando a inflação chegou nos 10%. Ano que vem a conta tende a ser menor (ainda acima da meta), mas com todos esses riscos aliado a uma eventual queda da Selic e melhoria da situação econômica do país, a inflação pode voltar com força nos anos que seguem.

Claro, o efeito confiança, levando em consideração nomes de peso no Banco Central,  tem um poder importante no jogo, mas só isso não encerra o problema.

Por via das dúvidas, os títulos atrelados a inflação continuam em peso na carteira do Empiricus Renda Fixa.

Conteúdo relacionado