O rating é importante, poxa…

(mas nem tanto...)

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
O rating é importante, poxa…

Ontem eu vi The Big Short.

É, eu sei, estou atrasada. Mas vi.

Por coincidência ontem a S&P rebaixou o rating brasileiro e de mais algumas empresas nacionais.

Então eu fiquei pensando “Por que confiar na S&P?”.

Bom, quanto ao corte de rating brasileiro eu não precisei pensar mais que 30 segundos pra chegar a conclusão que a agencia está certa. Motivos para desacreditar da perspectiva da economia brasileira não faltam.

A Eletrobras também foi prejudicada e isso já deveria ter acontecido há tempos segundo o Carlos. Concordo, eu que nunca olhei a empresa de perto também não gosto dela. A Petrobras… bom…

Mas um rebaixamento me deixou particularmente intrigada. A AmBev. Ainda deram perspectiva negativa. Ok Ok, o rating da empresa é maior que o rating nacional, mas não vejo bons motivos para cortar o rating dela. Long AmBev Short Brasil.

Entendo que quando um país inteiro é rebaixado as ações também sofram cortes de ratings. Porém, a empresa é sólida e tem ótimos fundamentos, apesar do papel estar caro.

Se a Ambev merece ser rebaixada por conta da situação brasileira, por que JBS não merece? Esta permaneceu estável pois segundo o Valor “não são imediatamente afetados pelo rebaixamento da nota soberana brasileira”.

Se o critério é o risco-país a JBS é mais afetada que a AmBev, além de estar toda endividada.

Parece que nem sempre é bom confiar no que a S&P diz. O Bruce que o diga, enquanto a agencia rebaixou a Comgás ele deu um ótimo motivo para a empresa entrar no seleto grupo das Melhores Ações da Bolsa.

Eu prefiro o Bruce.

Conteúdo recomendado