Por enquanto, não pagaremos o pato

Michel Temer fez mais um bom discurso hoje durante evento que reuniu sua equipe para o anúncio de medidas econômicas.

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
Por enquanto, não pagaremos o pato

Michel Temer fez mais um bom discurso hoje durante evento que reuniu sua equipe para o anúncio de medidas econômicas.

Em tom firme, o presidente em exercício começou defendendo a legalidade de seu governo, refutando aqueles que a todo instante dizem que houve um golpe de estado no país.

Mas isso qualquer pessoa que se deu ao trabalho de ler a Constituição está cansada de saber.

De modo que o que importou de fato foram as primeiras medidas econômicas anunciadas, a saber:

1. Apresentar reforma da previdência quando tiver formado consenso.

2. Pagamento de dívida de R$ 100 bi do BNDES com o Tesouro, que trará economia de 7% ao ano.

3. Proposta de emenda constitucional que define teto para o gasto público (pode estar pronta já na próxima semana).

4. Fundo Soberano extinto, R$ 2 bi para subtrair da dívida pública e depende apenas do Executivo.

5. Melhor governança para fundos de pensão e estatais, gestão por técnicos.

6. Flexibilização dos investimentos da Petrobras no Pré-Sal.

7. Economia de R$ 2 bi via trava a subsídios.

As propostas são excelentes e têm a capacidade de alçar o Brasil a um novo patamar fiscal.

A melhor notícia da coletiva, contudo, foi dada pelo Ministro da Fazenda Henrique Meirelles, que disse que novos impostos só serão propostos “em último caso” e “mais à frente”.

Ufa!

Conteúdo recomendado