Separar economia de política

Uma proposta indecente, ainda mais no Brasil.

Separar economia de política

Na faculdade eu ficava brava com os professores enviesados (e a PUC-SP tem um monte deles).

Prometi para mim mesma que, quando fosse professora, não colocaria minha posição goela abaixo dos meus alunos.

Mas relevem minha ignorância, caros professores. Eu acreditava em Keynes e na paz mundial.

Filosofando sobre isso ontem, percebi que é impossível falar sobre economia de verdade sem viés. Ainda mais no Brasil.

Como falar de política fiscal sem considerar os anos que um dos principais tripés da economia foi usado para adoção de medidas populistas que resultaram em uma das maiores crises do país?

Como falar de política monetária sem mencionar as frequentes visitas de Tombini ao gabinete de Dilma que acabaram em decisões absolutamente equivocadas de Selic e fez a inflação voltar a ser um problema para os cidadãos?

Não dá para ser alheio (ou isentão) em assuntos que resultaram no desastre da economia brasileira. Esses Erros (com E maiúsculo) não podem ser repetidos e os fatores que levaram a eles não são dummies.

Conteúdo relacionado