WhatsApp: o barato que pode sair caro

Uso do aplicativo para trabalho está cada vez mais popular, mas é preciso ter parcimônia

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
WhatsApp: o barato que pode sair caro

Olá,

Recebi recentemente uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e gostaria de compartilhar com você uma informação interessante.

De acordo com a análise, pouco mais da metade dos jovens empreendedores entrevistados (51,9%) considera o aplicativo de mensagens WhatsApp o principal canal de comunicação com os clientes. Em seguida, aparecem redes sociais como Facebook e Instagram (41,2%).

É curioso ver que ferramentas tradicionais de marketing, como e-mail marketing (8,5%) e campanhas publicitárias (4,6%), não são tão importantes para esses empreendedores de 18 a 34 anos.

Apesar de ser uma tendência recente para os negócios, o WhatsApp se consolida como um relevante canal de vendas pela popularidade do aplicativo. Além do custo zero do aplicativo, a vantagem do seu uso para o empreendedorismo é a possibilidade de contato direto com consumidores.

Também é possível criar um grupo para clientes interessados em seu negócio e divulgar rapidamente novidades e promoções. Alguns empresários ainda descobrem grupos sobre temas relacionados, pedem para ser incluídos pelo administrador e fazem propaganda nesses espaços. E tudo sem custo!

Mas nem tudo são flores… Dentre os empreendedores que eu conheço que utilizam o WhatsApp como canal de vendas, a percepção é que ele demanda muito tempo.

As mensagens de possíveis clientes se acumulam e você tem que estar pronto para atender rapidamente (uma vez presenciei um amigo no sábado à noite, em plena balada, respondendo dúvida de cliente).

E se você anunciar em um grupo que seu produto custa R$ 50, mas alguém retrucar que comprou por R$ 25 em outra loja? A reação será imediata! Logo os clientes vão começar a conversar para indicar o concorrente.

Por isso, se quiser usar corretamente o WhatsApp para melhorar os negócios – e não sair no prejuízo -, você deve seguir algumas recomendações:

– Estabeleça dias e horários para atendimento (nada de fins de semana e madrugadas);

– Adicione no grupo somente pessoas que querem estar nele (peça permissão);

– Use com parcimônia! Mande poucas mensagens no grupo e pense na efetividade do conteúdo para converter em vendas (ninguém quer receber um monte de notificações);

– Fique de olho nas interações dos participantes para não deixar assuntos que possam prejudicar sua marca tomarem grande dimensão.

E você, usa o aplicativo para vender? Deixe seu comentário ou me mande um e-mail!

 

Conteúdo recomendado