Fazendeiros devem tirar a mão do bolso e renovar frotas em 2018

Compartilhe:

Enxergamos o agronegócio como a locomotiva do Brasil. O solo fértil e o clima favorável dão ao nosso país vantagem competitiva em relação aos concorrentes internacionais. Ainda que o ano de 2017 tenha sido marcado por safras recordes e alta produtividade, a postergação em renovar frotas e a maior taxa de utilização das máquinas agrícolas fizeram com que as vendas neste segmento avançassem apenas 1,5% em relação a 2016.

Ou seja, entramos em 2018 com máquinas agrícolas desgastadas e depreciadas no campo. Com a possível necessidade de renovação de frota, aumenta-se a expectativa de que as vendas neste segmento apresentem um ótimo ano – os fazendeiros devem tirar a mão do bolso! Segundo a Anfavea, as vendas de máquinas agrícolas devem avançar 3,7% em 2018, impactada por um crescimento tanto no mercado interno como nas exportações.

Conteúdo recomendado