Banco do Brasil evolui, mas números não surpreendem mercado

Compartilhe:

Banco do Brasil encerrou hoje o período de divulgação dos resultados dos grandes bancos do país. Enxergamos evolução em algumas linhas do resultado, mas a mesma tendência negativa da carteira de crédito e margem financeira como foi visto nos resultados de Bradesco e Itaú.

A carteira de crédito no trimestre caiu 2,6%, impactada negativamente pela concessão para pessoa jurídica que ainda não mostrou sinais de recuperação. Em contrapartida, BB fez um bom trabalho na redução das despesas com PDD (Provisão para Devedores Duvidosos), ponto que foi comum a todos os resultados dos bancos. Com a queda de 6% no trimestre na despesa com PDD, a margem líquida ficou estável em relação ao 2T17.

Maior receita com serviços e despesas operacionais controladas contribuíram positivamente para o lucro líquido do BB, que atingiu R$ 2,8 bilhões no trimestre, somando quase R$ 8 bilhões nos nove meses deste ano. O ROE (sigla em inglês para Retorno sobre o Patrimônio) ficou em 12,1%, mostrando ainda pequena evolução na comparação com os trimestres anteriores.

Conteúdo recomendado