Efeito não recorrente nas despesas faz Ebitda da Alpargatas cair 60%

Compartilhe:

Alpargatas apresentou resultados bastante afetados por um efeito não recorrente nas despesas. A receita cresceu 3,5% em relação ao quarto trimestre de 2016. Pode não parecer muito, mas o último trimestre de 2016 foi marcado por grande antecipação de pedidos, o que acabou inflando os números daquele trimestre. As margens também melhoraram com queda no preço da borracha.

Mesmo assim o Ebitda despencou 60%, com um impairment que refletiu a queda na expectativa de ganhos futuros com a marca Osklen, que não tem gerado bons resultados. Enquanto a companhia desperdiça parte de sua energia e dinheiro tentando acertar a mão em segmentos complicados (como Osklen e Mizuno), com as maravilhosas Havaianas a Alpargatas vende chinelos de borracha de custo baixíssimo e enorme valor agregado.

Sem os efeitos não recorrentes, o Ebitda teria subido 17%, um bom número levando em conta a base de comparação difícil.

Conteúdo recomendado