Para crescer, CCR busca concessão do Trecho Norte do Rodoanel

O grupo CCR, empresa de concessão de infraestrutura, transporte e serviços, está aprontando sua estratégia de reposição e renovação de portfólio: desde o aumento de […]

Compartilhe:

O grupo CCR, empresa de concessão de infraestrutura, transporte e serviços, está aprontando sua estratégia de reposição e renovação de portfólio: desde o aumento de capital de aproximadamente R$ 4 bilhões para se capitalizar e ter espaço para participar de novas concessões, o mercado castigou o papel pela falta de novidades e pelas baixas perspectivas de crescimento.

Após ficar de fora de algumas licitações recentes, hoje, a CCR vai participar do processo de licitação do Trecho Norte do Rodoanel, que prevê um investimento relativamente baixo se comparado a outras licitações recentes de rodovias paulistas. O ativo, que interliga outras rodovias da empresa, pode gerar sinergias e faz sentido dentro do que a empresa vem buscando.

A empresa tem contratos relevantes (Via Oeste, Rodonorte e Dutra) para sua geração de caixa vencendo nos próximos cinco anos – somados, os três representam cerca de 24% do Ebitda. Em meio à preocupação com contratos vencendo e da crise que afetou o tráfego de veículos, a companhia passou por um ciclo recente de investimentos e aguarda a maturação dos projetos.

O foco do grupo continua sendo em rodovias, aeroportos e mobilidade urbana, tendo caixa para brigar por novas licitações. No entanto, vem sofrendo aumento da concorrência com a chegada dos estrangeiros, que com um ambiente regulatório mais claro e a enxurrada de liquidez global, voltam seus olhos para ativos brasileiros. O que sobra, muitas vezes, não é suficiente para remunerar o capital dos acionistas adequadamente.

Alexandre

Conteúdo recomendado