Cosan quase quadriplica lucro líquido em 2017

A Cosan reportou resultados operacionais em queda, relativos ao quarto trimestre, com o acumulado do ano de 2017 em linha com o guidance. No trimestre, […]

Compartilhe:

A Cosan reportou resultados operacionais em queda, relativos ao quarto trimestre, com o acumulado do ano de 2017 em linha com o guidance. No trimestre, a piora operacional veio praticamente de todas as linhas de negócios, com exceção de Comgás, que foi beneficiada pela recuperação do volume de vendas – com destaque para os segmentos de cogeração e industrial.

Na demonstração financeira consolidada, a receita líquida subiu 9,6% ano contra ano para R$ 13,2 bilhões, enquanto o Ebitda ajustado contraiu 6,8% no mesmo período, fechando o trimestre com R$ 1,2 bilhões. Entre os principais impactos estão o menor ganho oriundo da estratégia de suprimentos da Raízen Combustíveis; menores preços médios de açúcar e etanol na Raízen Energia; e menor volume vendido de lubrificantes na Moove.

Já o lucro líquido do trimestre foi de R$ 686 milhões, quase quadruplicando na comparação anual, impactado positivamente pelo reconhecimento do resultado líquido referentes à cessão de direitos creditórios, que adicionou R$ 788 milhões. É interessante notar que, excluindo este ganho, a companhia teria apresentado um prejuízo líquido na casa dos R$ 100 milhões.

Do lado financeiro, endividamento líquido bancário proforma (que exclui obrigações com acionistas preferencialistas) foi de R$ 9,5 bilhões, com aumento de 15% em relação a setembro, impactado principalmente por emissões de dívida realizadas pela Raízen. Assim, a alavancagem da empresa permaneceu estável. Adicionalmente, a geração de caixa livre atingiu R$ 643 milhões, com impacto do desembolso da aquisição da participação acionária na Comgás.

Conteúdo recomendado