CPFL (CPFE3): foco está na opa

CPFL (CPFE3) apresentou bons resultados referentes ao 4T17, impactados positivamente pela aquisição da RGE Sul e pelo controle de despesas. A receita cresceu 32%, puxada […]

Compartilhe:

CPFL (CPFE3) apresentou bons resultados referentes ao 4T17, impactados positivamente pela aquisição da RGE Sul e pelo controle de despesas.

A receita cresceu 32%, puxada pelos aumentos no volume e do preço médio de energia vendida (e também por conta da ajudinha da nova concessão da RGE Sul). Mas os ganhos aqui foram compensados pela alta no custo da energia, que subiu praticamente no mesmo ritmo (devido ao baixo nível dos reservatórios).

Mesmo assim, o Ebitda cresceu 36%, com custos e despesas gerenciáveis subindo em ritmo bem menor que a receita. Para melhorar ainda mais, as despesas financeiras recuaram bastante por causa da queda da Selic.

Com isso, a companhia atingiu um lucro líquido de R$ 497 milhões no trimestre, 260% acima do apresentado no 4T16.

É claro que resultados em crescimento são ótimos para os acionistas da CPFL. Mas o grande gatilho aqui continua sendo a OPA (oferta pública de aquisição) que o controlador deverá fazer pelos papéis restantes em circulação.

Conteúdo recomendado