Criptomoedas – Jamie é o taxista e Bitcoin é mais do que o Uber

Compartilhe:

A primeira criptomoeda, o Bitcoin, bateu os US$ 6 mil na última sexta-feira (20/10) e isso provocou novas críticas de Jamie Dimon, CEO da JP Morgan Chase, que pela terceira vez em menos de três meses, chamou a moeda digital de “fraude”. Os inovadores, que acreditam nas criptomoedas, veem com naturalidade as criticas do banqueiro americano. “Quem tem poder não quer perder e vê toda alternativa aquilo como ameaça”, destaca Edmilson Rodrigues, CEO da Swapy, durante evento da Empiricus.

Já Safiri Felix, Business Developer na Consensys e colaborador da série Empiricus Crypto Alert, comparou a resistência de Jamie Dimon com as dos taxistas na época em que o Uber foi criado. “Acho que Jamie é o taxista e o Bitcoin é mais do que o Uber. Não sei se ele não quer entender ou se está resistindo. Mas em um dado momento, ele terá (moedas digitais) na carteira dele, com certeza”, avalia. Felix lembrou ainda que JPMorgan foi acusado por fraudar milhares de propriedades em Nova York, contribuindo com a crise imobiliária americana de 2008. “É muita hipocrisia da parte dele”, observa.

Conteúdo recomendado