Possível acordo entre Embraer e Boeing chama atenção da sueca Saab

Em meio às tratativas em torno do potencial acordo entre a Embraer e a Boeing, surgiu um novo ponto de atenção: a parceria de transferência […]

Compartilhe:

Em meio às tratativas em torno do potencial acordo entre a Embraer e a Boeing, surgiu um novo ponto de atenção: a parceria de transferência de tecnologia que a brasileira mantém com a sueca Saab. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, exige salvaguardas que protejam tal tecnologia, uma vez que a parceria com a sueca é estratégica para o Brasil – a Força Aérea Brasileira (FAB) começará a receber os primeiros caças Gripen em 2021.

Adicionalmente, é uma importante ponte que conecta o segmento de Defesa & Segurança da Embraer aos processos de desenvolvimento de um caça supersônico. Enxergamos que, para ela, além da chance de aprender a tecnologia dos jatos de combate avançados, a possibilidade de produção internamente poderá amenizar a necessidade de importação desse tipo de aeronave no longo prazo.

Em paralelo, olhando o cenário global, vale destacar o fim da sobretaxa que Trump havia imposto sobre os jatos CSeries da canadense Bombardier – o que, em nossa visão, deverá instigar o apetite da Boeing em acelerar as negociações. Afinal, começa uma corrida contra o tempo para fazer frente à demanda.

No todo, visto que o interesse central da Boeing se dá na aviação comercial, entendemos que a notícia sobre a sueca não traz impacto relevante para o desenrolar do acordo com a Embraer. Inclusive, estrategicamente, é positiva para a brasileira em termos de competitividade dentro de um mercado em que tem capacidade de competir de igual para igual com as líderes globais.

Conteúdo recomendado