Fibria confirma expectativas e apresenta receita líquida 60% maior

A combinação entre maior preço médio de fibra curta, aumento no volume de vendas e queda do custo de produção fizeram com que os resultados […]

Compartilhe:

A combinação entre maior preço médio de fibra curta, aumento no volume de vendas e queda do custo de produção fizeram com que os resultados da Fibria, relativos ao quarto trimestre de 2017, viessem ótimos. Adicionalmente, vale o destaque positivo para o ramp-up da fábrica Horizonte 2, em Três Lagoas (MS) e a desalavancagem financeira.

A receita líquida subiu 60% ano contra ano para R$ 4 bilhões diante de preço e volume favoráveis. A boa evolução da curva de produção de Horizonte 2 mais do que compensou a redução de produção da unidade de Aracruz (ES), enquanto a produção adicional foi suportada pelo bom desempenho da demanda, principalmente a asiática.

O custo caixa de produção de celulose foi de R$ 556 por tonelada, uma redução de 16% versus o mesmo período de 2016). A melhora do custo foi impulsionada pela entrada em operação da nova fábrica, que gerou menor custo com madeira, mais energia excedente e maior diluição de custos fixos.

Mesmo com o aumento das despesas de vendas, gerais e administrativas, o Ebitda expandiu 146% ano contra ano, fechando o trimestre com R$ 1,98 bilhão e margem de 57%. E mesmo com o câmbio jogando contra o resultado financeiro, a companhia reportou lucro líquido de R$ 280 milhões. No acumulado do ano, o lucro somou R$ 1,09 bilhão.

Vale destacar ainda a distribuição de dividendos proposta pela companhia no valor de R$ 258 milhões ou R$ 0,47 reais por ação, a ser deliberada em assembleia em abril.

Conteúdo recomendado