União busca impedir licitação de rodovias com empresas “aventureiras”

Compartilhe:

Em busca de maior estabilidade e atratividade aos processos de licitação de rodovias, o Ministério dos Transportes tenta impedir que companhias “aventureiras” façam propostas muito agressivas e ganhem os leilões com um deságio muito alto. A ideia é exigir que, quanto maior o deságio, maior o nível de capitalização das proponentes.

Dessa forma, uma companhia que se comprometa a cobrar pedágios muito baixos vai ter, ao menos, situação de caixa confortável para manter o fluxo de investimento no início da concessão e maiores chances de conseguir financiamentos, dada sua estrutura de capital mais adequada.

A medida deixa claro que a equipe atual tem tentado resolver os problemas vindos da gestão anterior: na tentativa de baixar os valores do pedágio a qualquer custo, não houve preocupação suficiente com a qualidade das proponentes e nem com a viabilidade dos projetos. Com isso, o que parecia ser um avanço e garantia de baixas tarifas se tornou uma coleção de fracassos e baixos investimentos.

Conteúdo recomendado