Malta quer estar entre as primeiras no mercado de criptomoedas

Pensando no futuro, no qual, a adoção das criptomoedas em larga escala parece inevitável, a grande questão não é se os governos vão se abrir […]

Compartilhe:

Pensando no futuro, no qual, a adoção das criptomoedas em larga escala parece inevitável, a grande questão não é se os governos vão se abrir para essa classe de ativos, mas quem será o pioneiro. Com alguns países já se mostrando pró-criptomoedas — caso de Japão, Alemanha e Estônia —, Malta quer também ser pioneira. O primeiro-ministro deixou bastante claro, na semana passada, que o país será receptivo a empresas ligadas a blockchain e criptomoedas, com a Binance sendo a maior, neste momento, a abrir um escritório lá. Esse movimento de abertura será tendência entre governos que enxerguem o potencial de se beneficiar com um ambiente regulado favoravelmente às criptomoedas. A parte interessante é que daí podem surgir escopos regulatórios que servirão de modelo para outras nações.

Conteúdo recomendado