MRV está redonda e tenta fugir na “nuvenzinha” da Caixa

Compartilhe:

A MRV iniciou a temporada de resultado das incorporadoras a todo vapor. Os números vieram positivos em quase todas as linhas. Destaque para a melhora do ROE (sigla em inglês para Retorno sobre o Patrimônio) anualizado que ficou em 11,5% neste trimestre ante 10,8% no segundo trimestre de 2017.

Uma sequência de melhora dos resultados está por vir. A estrutura atual da empresa está preparada para lançar 50 mil unidades/ano. A MRV tem usado mais forma de alumínio nas obras, o que reduz o tempo de construção, portanto, melhora o giro do ativo.

Do ponto de vista operacional, houve melhora na VSO (sigla em inglês para Velocidade de Vendas) – combinação de crescimento de vendas brutas com menor distrato – e também lançamentos. Do ponto de vista financeiro, a receita líquida cresceu dois dígitos, a margem bruta alcançou recorde histórico de sete anos, e as despesas gerais e administrativas tiveram maior diluição. Do lado negativo, as despesas financeiras cresceram bem, uma vez que a empresa está capitalizando menos juros.

Conteúdo recomendado