Renda fixa: prefixados têm pior performance desde áudios de Joesley

Compartilhe:

Em um dia de várias notícias negativas para o mercado brasileiro de renda fixa, os prefixados tiveram a pior performance desde a crise política dos áudios do Joesley Batista, da JBS. O mercado externo entrou em modo “risk off”, com moedas emergentes e juros emergentes sofrendo bastante. Nosso câmbio desvalorizou 2% contra o fechamento anterior.

O Copom, com seu comunicado lacônico, provocou receio de fim antecipado do ciclo de queda da Selic nos gestores que estavam aplicados na curva sem convicção. E por último, o Tesouro colocou 12 milhões de títulos prefixados no mercado, em um dos maiores leilões recentes, pressionando os preços para baixo.

Tudo isso fez com que os prefixados subissem bastante. Na marcação da Anbima, a LTN 2021 subiu 22 bps e a NTNF 2027 subiu 17 bps. Isso significa que a inflação implícita, subiu bem! E nos vértices mais longos ela já passa de 5%. É o que vínhamos falando: em um dia de stress, a primeira a reagir é a inflação implícita. E isso funciona como um seguro para os títulos indexados à inflação.

Conteúdo recomendado