Despesas com devedores duvidosos afetam resultado anual do Bradesco

O Banco Bradesco divulgou, na manhã de hoje, o resultado para o quarto trimestre de 2017 com lucro líquido 11% maior na comparação com 2016, […]

Compartilhe:

O Banco Bradesco divulgou, na manhã de hoje, o resultado para o quarto trimestre de 2017 com lucro líquido 11% maior na comparação com 2016, mas abaixo do consenso do mercado. O resultado foi impactado negativamente pelo aumento de 21% nas despesas com devedores duvidosos.

Nos últimos meses, o Bradesco intensificou o controle de sua política de concessão de crédito com revisão do rating de clientes corporativos e análise das garantias ofertadas pelos tomadores. Resta saber se banco está enxergando alguma piora na inadimplência para frente para ter tomado esta atitude. Vimos que a inadimplência 15-90 dias das médias empresas subiu no trimestre. Este pode ter sido o motivo do aperto nas provisões.

Do lado positivo, destaque para a carteira de crédito que avança 1,2% na comparação trimestral. O número, que vinha caindo trimestre após trimestre, mostra um ponto de inflexão com força e retomada tanto no segmento de pessoas físicas como na linha empresarial. Já os demais números vieram em linha com os apresentados anteriormente. Bradesco fecha o ano de 2017 com margem financeira levemente abaixo na comparação trimestral e ROE (Retorno sobre Patrimônio Líquido) de 17,6%.

O banco aproveitou para divulgar o guidance de 2018 com expansão da carteira de crédito de 3% a 7%, redução das despesas operacionais e despesas com PDD (Provisão para Devedores Duvidosos) e Impairment de Ativos Financeiros entre R$ 16 bilhões a R$ 19 bilhões.

Conteúdo recomendado