Falta somente a Caixa para retomada total do setor imobiliário

A decisão de comprar um imóvel, que é lenta e demanda muito capital, começa a acelerar. O fluxo de notícias positivas para o setor imobiliário […]

Compartilhe:

A decisão de comprar um imóvel, que é lenta e demanda muito capital, começa a acelerar. O fluxo de notícias positivas para o setor imobiliário não para, a Abecip, associação representante de instituições financeiras no mercado imobiliário, projeta expansão de 15% do setor em 2018.

Agora só falta uma grande variável para a equação se resolver, a Caixa. Do ponto de vista macroeconômico, a renda real aumentou, a taxa de desemprego começou a cair, o endividamento das famílias segue ladeira abaixo, a taxa Selic caminha para 6,5% ao ano e o PIB volta a crescer.

No setor imobiliário, os distratos continuam a cair, os preços já mostram estabilidade, o estoque está normalizando (em São Paulo, por exemplo, o estoque está baixo), as entregas chegando no fim do ciclo, e a poupança com sequências mensais de captação líquida positiva. E falta o que então? A Caixa voltar a dar crédito!

A Caixa anda com o índice de Basileia muito baixo (o que precisa ser adequado), e isso tem travado o crédito do setor, dado o seu market share de 60% no crédito imobiliário. Porém, a boa notícia é que os bancos privados começam a ter mais apetite. O Itaú e Santander, por exemplo, quase que dobraram as suas participações de mercado no ano passado em operações de crédito imobiliário com recursos da poupança, enquanto a Caixa ficou com 38%, abaixo da média histórica.

Conteúdo recomendado