Risco Brasil está em queda livre e registra menor número em quatro anos

Refletindo a melhora da percepção de risco dos investidores estrangeiros em relação ao Brasil, o indicador CDS, derivativo que funciona como um seguro contra calotes, […]

Compartilhe:

Refletindo a melhora da percepção de risco dos investidores estrangeiros em relação ao Brasil, o indicador CDS, derivativo que funciona como um seguro contra calotes, chegou no menor nível desde 2014, 148 pontos. Em 2016, o risco Brasil chegou a bater mais de 500 pontos.

Em queda livre a vários dias, o indicador revela que investidores vem acreditando que o Brasil, apesar das incertezas políticas e fiscais, é um lugar mais protegido para os investimentos.

O CDS é um componente da taxa de desconto utilizado por bancos e corretoras no mundo para precificar ações. Se o CDS cai, o risco do país segue o movimento e o valor justo das empresas sobe.

Este é um dos motivos do otimismo verificado na Bolsa brasileira nestes primeiros dias do ano. Depois de nove altas consecutivas, o Ibovespa atingiu novo recorde com giro financeiro nesta quinta-feira (04/01) de mais de R$ 9 bilhões.

Conteúdo recomendado