Siderurgia brasileira finalmente volta a respirar

De acordo com Carlos Loureiro, presidente do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), a siderurgia brasileira está vivendo dias mais saudáveis, muito em conta […]

Compartilhe:

De acordo com Carlos Loureiro, presidente do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), a siderurgia brasileira está vivendo dias mais saudáveis, muito em conta pelo fechamento de usinas na China, maior produtora e exportadora de aço do mundo.

O gigante asiático passa por um processo de corte de capacidade ineficiente e excedente para alcançar maior produtividade em um setor que vem trazendo problemas ao ar chinês e ao bolso de siderúrgicas ao redor do mundo. Para garantir o forte crescimento da economia chinesa e manter importantes vagas de emprego, as estatais ineficientes acabavam sendo sustentadas pelo governo – artificialmente inflando a produção e reduzindo custos.

A redução de oferta e uma melhora do cenário econômico global têm puxado os preços para cima e beneficiado o mercado doméstico. Além disso, a melhora no setor automobilístico também possibilitou a recuperação do setor siderúrgico nacional. Nas últimas semanas, as siderúrgicas brasileiras anunciaram alguns ajustes de preços para as montadoras, fabricantes de eletrodomésticos e distribuidoras de aço.

Conteúdo recomendado