Siderurgia: o bode (de aço) continua na sala

Compartilhe:

As tarifas de 25% sobre a importação de aço e de 10% sobre alumínio impostas por Donald Trump podem voltar a pressionar as siderúrgicas nos próximos dias – amanhã (01 de maio) vencem as isenções temporárias concedidas a alguns aliados, incluindo o Brasil.

Até o momento, as últimas notícias apontavam para a adoção de um sistema de cotas, com cada país possuindo um limite de aço, por tipo de produto, a ser enviado para os EUA. Como nada foi definido e as negociações já estão em curso, a expectativa é que a data seja prorrogada.

Como 65% das exportações das siderúrgicas brasileiras para os EUA são de aço semiacabado, que ainda é processado pelas siderúrgicas americanas em um produto final, a medida não deve afetar tanto as exportações brasileiras, já que a imposição de um limite deve acabar causando um aumento nos preços do produto exportado.

 

Mas ainda é muito cedo para previsões mais assertivas sobre o resultado final do imbróglio.

Conteúdo recomendado