Wiz cai 14% após má notícia da Caixa Econômica

Compartilhe:

A Wiz caiu 14%, nesta terça-feira (21/11), na Bolsa de Valores, após a empresa declarar que não tem garantias de exclusividade na distribuição de produtos de seguro comercializados pela nova Joint-Venture a ser firmada entre a CNP (companhia de seguros francesa) e a Caixa Econômica federal. Até então, a CNP e a Caixa tinham parceria – na figura da Caixa Seguridade que é controladora da Wiz – que, contratualmente, possui exclusividade na distribuição dos produtos.

O primeiro ponto a destacar nessa história toda é que há um claro conflito de interesses na situação: Caixa e CNP estão negociando um novo arranjo comercial e podem se ver incentivados a tomar decisões ruins para Wiz. O segundo ponto é que há um contrato que, imaginamos, deve estabelecer bases claras para esse tipo de situação – há que se respeitar o contrato até o fim de sua vigência (2021) ou indenizar as partes prejudicadas.

Vale destacar que as conversas entre Caixa e CNP ainda estão em andamento e como a operação da Wiz é pouco relevante diante do tamanho total dos números, a corretora ainda não foi envolvida diretamente em conversações para acertar o novo relacionamento comercial.

A situação se encaminha para um cenário em que Caixa/CNP pressionariam a Wiz a reduzir fees (comissões) em troca de um contrato mais longo e estável. Caberá à Wiz decidir o que será mais vantajoso para ela: seguir com contrato atual até 2021, respaldando-se na legitimidade do mesmo e podendo (devendo) recorrer a uma câmara de arbitragem (B3) no caso de se sentir prejudicada.

Conteúdo recomendado