A Lista de Mansueto

Compartilhe:

O economista Mansueto Almeida postou esta manhã no seu blog sobre desenvolvimento local, política econômica e crescimento, “A lista de queixa-crime do Banco Central deve aumentar?” O mote foi a decisão da Procuradoria-Geral do BC que informou no domingo à noite que deve recorrer contra a decisão da Justiça Federal de São Paulo, que negou seguimento à queixa-crime oferecida contra o economista Alexandre Schwartsman – ex-diretor de Assuntos Internacionais do BC –, por causa de duras críticas feitas à gestão do BC no combate à inflação, segundo relato de Juliano Basile, especialista do Valor em Judiciário e Tribunal de Contas. “Como a norma do Brasil agora é processar quem fala mal de algumas instituições, vou fazer o meu dever de cidadão e ajudar o Banco Central a mapear quem fala mal desta instituição. Talvez seja o caso de começar uma queixa-crime contra cada um dos nomes abaixo. Ou não? O melhor seria levar isso para o debate econômico e não para a Justiça”, escreve.

O renomado fiscalista, faz uma varredura atrás de personalidades que em algum momento fizeram alguma crítica mais séria [ou acusação] ao BC.

A “lista de Mansueto” começa com o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, com uma abordagem pouco afável do trabalho do BC em 2007. Crime de Belluzzo, segundo Mansueto, acusar o BC de ser incompetente. Hoje, lembra Mansueto, Belluzzo é um dos conselheiros da presidente Dilma Rousseff.

O economista Aloizio Mercadante tem a segunda posição. Em 2002, segundo Mansueto Almeida, o ex-senador acusou o BC de favorecer especulação no mercado cambial para favorecer o candidato do governo à Presidência, José Serra. Hoje, Mercadante é ministro chefe da Casa Civil da Presidência.

Na terceira posição está Luciano Coutinho. Em 2005, o economista da Unicamp, e um dos maiores especialistas do país em política industrial, acusou o BC de tomar decisões pouco sensatas e o Copom de incompetente, o que nos levou, em 2005, crescimento magro do PIB (Produto Interno Bruto), dívida mobiliária inflada, câmbio superapreciado, investimentos prejudicados. Há anos, Coutinho é presidente do BNDES.

Na quarta posição da “Lista de Mansueto” está o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, em 2001, acusou o BC de tomar decisões para controlar taxa de câmbio em 2001 que prejudicavam os brasileiros. Hoje, Lula, segundo Mansueto Almeida, é palestrante e político influente.

Na última posição está a economista Maria da Conceição Tavares. Em 2004, Conceição acusou os diretores do BC  de serem todos débeis mentais, ignorantes e piranhas financeiras”. Há tempos, a economista é professora da Unicamp e da UFRJ.

O BC potencializou um episódio que fez lembrar, não só a economistas, a reação exagerada do governo contra relatórios de bancos e consultorias distribuídos a investidores sobre o tema ‘eleições’.Na última semana de julho, depois de um momento crítico com o Santander, a coligação da presidente Dilma Rousseff se movimentou na Justiça contra a Empiricus Consultoria. Apesar da forte reação oficial, relatórios sobre o Brasil continuaram a ser produzidos e distribuídos no Brasil e nas maiores praças financeiras do mundo. E com o intuito de dirimir dúvidas de grandes investidores sobre os rumos do país. Nada fáceis, não é mesmo?

Fonte: Valor Econômico

Conteúdo recomendado