“Estado brasileiro não cabe no PIB”, diz Giannetti

Compartilhe:

Economistas envolvidos na campanha eleitoral dos presidenciáveis de diferentes linhas ideológicas concordam que a economia brasileira está mais fraca do que poderia. Também se entendem ao considerar que essa fraqueza não é incontornável e que o próximo presidente, seja quem for, deve comprar uma agenda pesada de reformas para fazer o país crescer e retomar sua importância no cenário internacional. Reformas, inclusive as que extrapolam o poder de um único governante ou de um único mandato, são defendidas pelos economistas que participaram ontem de fórum da consultoria Empiricus, em São Paulo.

Fonte: Valor Econômico

Conteúdo recomendado