A fórmula mágica para bater a poupança sempre (sem correr mais riscos)

O Banco Central decidiu manter a taxa de juros que serve de referência a toda a economia em 6,5%. É a terceira reunião consecutiva em que ele toma a decisão de manter a meta para a Selic no menor patamar histórico.

Compartilhe:
A fórmula mágica para bater a poupança sempre (sem correr mais riscos)

Tenho uma bola de cristal. Ela não me mostra o que vai acontecer às vésperas das decisões do Banco Central para os juros, infelizmente. Revela, entretanto, a matéria que vai estampar os sites e jornais de finanças nas horas seguintes à decisão: “Fundos DI perdem para a poupança”.

Só se for o do jornalista; o meu não perde, não.

O número da semana

10 bilhões de reais. Lucro líquido da Petrobras de abril a junho, reportado hoje; o maior da estatal para um trimestre desde 2011. No mesmo período do ano passado, o resultado foi de 316 milhões de reais.

O que ta rolando?

A notícia. O Banco Central decidiu manter a taxa de juros que serve de referência a toda a economia em 6,5%. É a terceira reunião consecutiva em que ele toma a decisão de manter a meta para a Selic no menor patamar histórico.

O que você leu. Como é de praxe, os jornalistas fizeram matérias, na sequência, em que dizem que o fundo DI perde para a poupança a esse juro.

O que você deveria ter lido. Na média, o fundo DI perde até para comprar todo o seu salário em chocolate. Afinal, os produtos com taxas abusivas, que chegam a 5,5% ao ano, pesam sobre os outros. Mas, na média, também, até chocolate é ruim. Em vez de ficar chorando ou se abraçar à poupança, que tal procurar o Lindt dos fundos DI?

Para poucos? Ao contrário do Lindt, os melhores fundos DI são com frequência mais acessíveis do que os piores. Você encontra opções com liquidez diária e taxa de administração de até 0,2% ao ano no BTG Pactual Digital, na Órama e na XP. Desafio você a conseguir tal taxa no seu banco. Alguns desses fundos são chamados de Simples em vez de DI, mas são basicamente a mesma coisa: a opção mais segura e rentável para o dinheiro de que você pode precisar a qualquer momento. Com 500 reais você já tem acesso.

Melhor do que a poupança? Com certeza: se você tivesse investido 10.000 reais em março na poupança, no dia em que os atuais juros começaram a reinar, sacaria hoje 10.150 reais. O mesmo valor investido no BTG Pactual Tesouro Selic teria virado 10.216 reais. No caso do fundo, incide imposto. Ainda que você ficasse somente esse período e pagasse, assim, o maior imposto, sacaria 10.167 reais.

Xeque-mate. Um bom fundo DI supera a poupança, já sabemos. A vantagem pode parecer pequena em três meses, mas imagine o efeito disso no longo prazo – o imposto do fundo, que começa em 22,5%, chega a 15% depois de dois anos – e para um patrimônio maior.

Fiquei mais pobre ou mais rico? Se seu dinheiro está na poupança, mais pobre a cada mês. No ano, ela perde até para a inflação.

É pouco pra você? Pra mim também. O fundo DI de taxa menor do que 0,2% ao ano é o destino do dinheiro que você pode precisar a qualquer hora (para o curto prazo, melhor até do que título pós-fixado no Tesouro Direto, em que você vai pagar no mínimo 0,3% ao ano). Para o resto, pense em investir pelo menos um pouco em ações e moedas.

What’s going on?

News. Assim como o brasileiro, o Banco Central americano decidiu manter o juro de referência de sua economia nesta semana, em linha com o esperado pelo mercado.

Don’t go. A diferença para o nosso BC é que o americano (Fed, para os íntimos) está em processo de elevar juros. Para quem investe em países emergentes, como o Brasil, essa é uma ameaça constante. Se um país de economia mais forte e estável paga mais por dinheiro emprestado, a tendência é que o dinheiro flua para ele, certo?

Dovish. Os mercados na média interpretaram as afirmações do Fed nos últimos dias como “dovish”. O que significa isso? Que ele manterá uma política monetária frouxa ou, em bom português, que vai continuar jogando dinheiro na economia a rodo.

But… Conversei com um grande gestor, que acerta muito, para quem a reação dos preços foi errada (muito calmos). Para ele, os dados da economia americana mostram que o Fed vai ter que subir os juros com mais velocidade do que o mercado espera.

My money. Melhor não contar com uma ajudinha da economia americana para que seus títulos públicos prefixados e indexados à inflação ganhem valor. De fora, pode vir muito estresse. Parece que estamos mesmo reféns das questões domésticas: eleições e consequentes decisões de política fiscal para saber quanto realmente o governo precisa pagar para conseguir dinheiro emprestado, ou seja, nos títulos públicos. Em caso de um candidato não desejado pelo mercado, o título prefixado que você já tem, comprado em tempos menos bicudos, tende a se desvalorizar.

A boa da vez

Você é ONG? Empiricus não ganha nada da XP nem da Órama, nem do BTG, nem de nenhum gestor pelas sugestões que fazemos nesta publicação. Mas também não somos uma organização sem fins lucrativos, claro. Se considerar nossa indicação útil, assine alguma de nossas publicações mensais para conhecer. Para ações, vá por aqui. Para renda fixa, aqui. Se curte fundos, o caminho é este. Tem ouvido conselhos gratuitos? Xiiii…

Quer dar um grande salto de rentabilidade? O Felipe vai te mostrar o caminho aqui.

Recall. Confira se o fundo em que você investe sua reserva de emergência está defeituoso aqui.

Amanhã é sábado

iTrillion. Se você chutou que a Amazon seria mais rápida do que a Apple em atingir 1 trilhão de dólares de valor de mercado, errou. O título de primeira empresa listada a atingir a marca ficou com a criadora do Mac.

Só que não. O jornal americano “Financial Times” estragou a festa da Apple ao reportar que, na verdade, a primeira empresa listada a alcançar 1 trilhão de dólares em capitalização de mercado foi a PetroChina. E isso aconteceu há mais de uma década.

Sua vez

O que mais você gostaria de ver neste espaço? Escreva para: oinvestidorindependente@empiricus.com.br.