4 passos simples para eliminar o medo e mudar sua vida. A partir de hoje

Por Mark Ford

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
4 passos simples para eliminar o medo e mudar sua vida. A partir de hoje

Eu tinha pavor de falar em público. Quando era forçado a fazer um discurso, me saía muito mal – isso fazia com que meu pavor aumentasse ainda mais no próximo. Era um ciclo vicioso.

Quando me tornei diretor editorial de uma newsletter de negócios no Sul da Flórida, em 1982, fiquei em uma situação desconfortável: eu tinha que liderar reuniões e fazer apresentações regularmente, mas não estava preparado para isso.

Então decidi me inscrever em um programa da Dale Carnegie (empresa de treinamento em comunicação e liderança) para aprender a falar em público. Acabei me inscrevendo no curso errado. Em vez de focar na habilidade de falar em público, seu objetivo era bem mais amplo.

Esse curso mudou a minha vida.

Aprendi a importância de estabelecer objetivos e partir para a ação. Sem querer, o curso também acabou me ensinando como ficar mais à vontade em discursos e palestras.

Minhas habilidades para falar em público melhoraram consideravelmente.

Todas as semanas nós tínhamos que ler um capítulo do clássico livro de Dale Carnegie – escritor e orador norte-americano que inspirou a empresa de treinamento – “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, e depois fazer uma apresentação de dois minutos explicando como incorporaríamos aqueles princípios em nossas vidas.

Nas quintas à noite, eu dirigia meia hora para o local do curso.

No caminho, pensava sobre o que eu diria. No começo foi difícil, mas ficava mais fácil a cada semana. No fim do curso de 14 semanas, eu falava quase como um profissional. Tinha vencido vários prêmios em competições e rotineiramente ficava entre os melhores da turma.

A última aula foi uma espécie de cerimônia de formatura. Amigos e parentes compareceram, triplicando o tamanho do público para o qual eu deveria falar. Fiz o discurso final. Estava um pouco nervoso quando subi no púlpito, mas tinha aprendido muito.

Respirei fundo e fiz o que tinha aprendido. Recebi muitos aplausos. Muitas pessoas que eu nem conhecia vieram me parabenizar… uma delas sugeriu que eu me tornasse um comediante.

Não fui ingênuo a ponto de acreditar no conselho, mas fiquei feliz em saber que tinha feito tanto progresso em tão pouco tempo (começando praticamente do zero).

Como superei meu medo de falar em público?

Da mesma forma que se faz com qualquer tipo de fobia.

Humilhação e Humildade

Grande parte dos nossos medos têm a ver com constrangimento – passar vergonha na frente dos outros. Quando essa vergonha é extrema, podemos dizer que é humilhação.

Se você solta um pum em uma festa chique, fica com vergonha. Se o seu grande projeto no trabalho fracassa – e você estava se gabando de que seria um “sucesso garantido” -, você se sente humilhado.

Humilhação é o que acontece com a vergonha quando ela se mistura com orgulho. Quanto mais orgulhoso você for, mais o fracasso doerá.

O que nos leva à cura para o medo do fracasso é a humildade.

Eu sou orgulhoso. Tenho orgulho do que escrevo, por exemplo, e do sucesso que atingi nos meus negócios. Então preciso me lembrar constantemente de ser humilde em relação a essas coisas.

Mas não tenho orgulho de tudo que faço.

Não tenho orgulho da minha habilidade de dançar, cantar ou falar outros idiomas, porque sou péssimo nessas atividades. Como meu ego não está envolvido, não tenho vergonha de fazer perguntas bobas, de me apresentar como um iniciante e, finalmente, de fracassar repetidas vezes enquanto tento aprender.

A verdade é que eu não era muito competente quando entrei no mundo dos negócios.

Por isso, eu fazia muitas perguntas, não tinha medo de parecer bobo nem de cometer erros… o que acelerou minha curva de aprendizagem.

Esta última observação nos leva a um princípio importante do sucesso. Eu chamo de: “o segredo do fracasso acelerado”. É um princípio que desenvolvi no início dos anos 1990.

O princípio do fracasso acelerado consiste na seguinte ideia: para desenvolver uma habilidade você precisa estar disposto a cometer erros e a suportar fracassos. Quanto mais rápido cometer esses erros e fracassar, mais depressa você dominará uma habilidade.

No meu trabalho, ensinamos esse segredo aos gerentes de todas as equipes.

Nós os encorajamos a permitir que seus funcionários fracassem. Não de forma estúpida. Não repetindo sempre os mesmos erros. Mas de forma que se sintam livres para fracassar – contanto que seja em busca de conhecimento.

É como jogar golfe ou praticar jiu-jitsu. Se você ficar tenso nos movimentos para evitar erros, vai aprender devagar. Se você relaxar e deixar os erros acontecerem, aprenderá com eles e avançará mais rápido na modalidade.

Tudo começa com “ser humilde”. Humilde o suficiente para aceitar que, quando você começar algo novo, há grandes chances de que não o fará bem.

Humildade é o primeiro presente da natureza

O orgulho nos impede de admitir que somos incompetentes. Mas todos somos incompetentes quando estamos aprendendo.

Pense em como um bebê aprende a andar. Ele começa engatinhando, depois passa a “se mover caindo” (como meu irmão costuma dizer), a andar como um bêbado, até finalmente caminhar bem.

Bebês não sentem vergonha porque não são orgulhosos.

Há um motivo para o orgulho não invadir a psique humana até os 6 ou 7 anos:
Há muito o que aprender antes disso.

Se bebês fossem orgulhosos, eles levariam anos – talvez décadas – para aprender a andar e a falar corretamente.

Humildade é uma virtude muito subestimada e nos fornece pelo menos três vantagens significativas:

* Nos torna mais cativantes. Pessoas humildes, principalmente as bem-sucedidas que continuam humildes, são apreciadas.

* É mais fácil conseguir cooperação. Pessoas humildes conseguem mais cooperação porque não tentam forçar os outros a aceitarem suas ideias.

* O aprendizado é mais fácil e mais rápido. Pessoas humildes são capazes de fazer perguntas, cometer erros e fracassar sem constrangimento. Isso atrai boas pessoas com vontade de ajudar. Pessoas humildes conseguem os melhores professores que, por sua vez, acabam dando o seu melhor.

Se humildade é a solução, como uma pessoa orgulhosa se torna humilde?

Agora chegamos no ponto mais importante da discussão: um plano prático para acabar com o medo do fracasso.

Veja como fazer isso:

1- Comece aceitando a verdade. Você é uma boa pessoa, mas isso não significa que seja naturalmente bom em tudo. Olhe-se no espelho e pense sobre a habilidade que deseja adquirir.

Diga em voz alta: “Eu aceito o fato de que, neste momento, sou incompetente em (nome da habilidade).” Repita o exercício até que ele não te incomode mais.

2- Admita sua incompetência para um público indiferente. Uma vez que você já fez isso em frente ao espelho, diga para um ser humano. Comece admitindo sua incompetência para alguém que não se importa.

Admita para seu professor de espanhol que é incompetente para falar em público. Admita para seu professor de oratória que é incompetente em espanhol. Repita o exercício até que o esteja fazendo com graça e bom-humor.

3- Em seguida, admita sua incompetência para um público que o julgará. Admita para seu professor de espanhol que não é bom com línguas. Admita que tem dois pés esquerdos para seu professor de dança. Faça isso não apenas uma vez, mas todas as vezes que cometer um erro ou fracassar de alguma forma. Faça isso com bom-humor. Como psicólogos modernos afirmam:  “abrace” o sentimento.

4- Admita sua incompetência para alguém que possa puni-lo. Esse é o teste final. A próxima vez que você se prontificar a fazer uma tarefa difícil no trabalho, admita para seu chefe que talvez fracasse antes de obter sucesso. Faça isso com bom-humor e ficará surpreso com o resultado.

Seu chefe não o demitirá imediatamente (a não ser que ele seja incompetente). Em vez disso, ele o admirará por sua humildade. Afinal, ele sabe que você ainda não é competente. Tudo o que ele deseja é seu comprometimento em continuar se esforçando até aprender.

Percebi que os executivos mais produtivos e bem-sucedidos se sentem muito confortáveis em dizer: “Vou tentar isso e aquilo. Provavelmente estragarei tudo. Mas se der certo… acho que será bom!”

Derrote seu medo do fracasso ficando feliz – e até ansioso – por tentar e falhar até que seja bem-sucedido.

Foi assim que Thomas Edison inventou a lâmpada. Foi assim que Michael Jordan, que era um jogador de basquete medíocre no ensino médio, tornou-se um dos melhores de todos os tempos.

Eles não temiam o fracasso.

Você também não tem nada a temer.

 

Abraços,

Mark Ford

Conteúdo recomendado