9 passos para derrotar a depressão

O segredo para ser feliz é tirar o foco dos problemas e ter uma vida mais equilibrada e saudável

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
9 passos para derrotar a depressão

A receita mais popular de felicidade é também a mais estúpida. Estou falando da ideia de que você pode derrotar a depressão “prestando atenção em si mesmo”.

Na verdade, quanto mais atenção você prestar em si mesmo, menos felicidade terá. Concentrar-se em si mesmo pode perpetuar os sentimentos de desamparo.

Pense nas pessoas menos felizes que conhece. Sobre o que elas costumam falar? Realizações, problemas, esperanças, preocupações. Em resumo: sobre si mesmas.

Tenho uma amiga que chamarei de Shelly. Shelly é uma mulher bonita e inteligente, mas não consegue ter relacionamentos duradouros. “As pessoas sempre me decepcionam”, diz.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

Toda vez que a vejo, ela fala sem parar sobre as pessoas que a decepcionaram, reclama do chefe e do companheiro. Ela o faz com senso de humor – mas é sempre: eu, eu, eu, eu.

Sugeri que ela seria mais feliz se fizesse algum trabalho voluntário ou se tivesse um hobby. Talvez se adotasse um animal de estimação. Mas ela não escuta.

Para quem observa, Shelly não tem motivos para reclamar. Ela tem a saúde perfeita, uma família saudável e segurança financeira – tudo isso a coloca entre as pessoas mais sortudas do planeta. Mesmo assim, ela só vê os aspectos negativos.

Você deve ter uma Shelly em sua vida. Talvez mais de uma.

O problema com as Shellys é que elas passam muito tempo pensando e falando sobre problemas. Suas vidas nunca melhoram. E elas não entendem o porquê.

Essas pessoas acreditam que a solução está em suscitar a compaixão alheia e não entendem que buscar atenção é grande parte do problema.

É bom quando as pessoas prestam atenção em nós. Mas, mesmo nas situações mais intensas (imagine ser uma estrela de cinema), o prazer desaparece assim que a atenção vai embora.

É como usar drogas. O efeito é temporário, é viciante e você quer sempre mais, mas nunca é suficiente.

Por fim, isso te mata.

Na próxima vez que estiver se sentindo triste ou com raiva, admita que há uma forma de ficar feliz de novo.

Veja como…

1. Aceite que não há problemas em se sentir mal de vez em quando.

Apesar de sua força e de suas realizações, às vezes, você se sentirá mal. É natural que pessoas ambiciosas (como você) se sintam assim.
Como o especialista em produtividade Tim Ferriss sempre diz: dúvidas e tristeza ocasionais são parte integral de realizações memoráveis.

2. Se você está chateado por algo que fez a si mesmo, perdoe-se.

Tudo bem. Você pisou na bola. O que importa é o que você fará a seguir, não o que acabou de fazer.

Às vezes, fico bravo quando me sinto pressionado por obrigações profissionais. Mas, quando analiso o motivo de tanto trabalho, percebo que sou eu mesmo que busco essas obrigações.

Quando observo que meu humor está sendo afetado por minhas ações, tento me lembrar de quanta sorte tenho. “Tudo bem ficar bravo, mas não é preciso. Você consegue terminar esse dia. E terá mais disciplina amanhã.” Me sinto melhor instantaneamente.

3. Se você está chateado por causa de algo que outra pessoa fez, relaxe.

Conte até 10. Reconheça que você não pode controlar o comportamento dos outros. A única coisa que sob seu controle é sua resposta ao comportamento dos outros. Ninguém pode tirar isso de você.

Eu ficava irritado quando minha família, amigos ou colegas cometiam um erro. Percebo agora o quão estúpida é essa atitude. Não me fazia bem. E me deixava menos produtivo e mais infeliz. Além de me tornar uma pessoa desagradável.

Eu mudei quando aprendi a oferecer a outra face. No momento em que parei de sentir rancor pelas falhas dos outros, passei a me sentir melhor em relação a mim mesmo.

É incrível como funciona.

Alguém tromba com você na rua e você torce o tornozelo. Você tem uma escolha: ficar com raiva da pessoa, ficar com raiva de si mesmo por não ter prestado mais atenção ou se perdoar e perdoar a outra pessoa, mudando a forma como pensa sobre a lesão.

Em vez de reclamar de ficar de molho por uma semana ou duas, veja o período de recuperação como um presente – a chance de começar um novo projeto ou de acabar com a leitura atrasada.

4. Não deixe que expectativas exageradas interfiram em seus relacionamentos.

(Essa é uma subcategoria de não permitir que o comportamento de outras pessoas o incomodem.)

Em vez de ficar irritado com o hábito do cônjuge de (insira qualquer coisa que o irrite), aceite o fato de que ele não vai mudar e encontre uma forma de perdoá-lo… E até mesmo de amá-lo.

Em vez de ficar bravo porque seu filho é bagunceiro, encontre uma forma de amá-lo por suas qualidades enquanto gentilmente o ensina (dando o exemplo) as vantagens de ser organizado.

Em vez de ficar bravo com seu sócio porque ele não teve um desempenho tão bom quanto o esperado, aprenda a apreciar o que ele traz de bom e negocie um novo acordo. Por amor, não por raiva.

Aceitar as pessoas pelo que elas são não significa permitir que elas destruam a sua vida. Pelo contrário, significa ser realista – percebendo que, 90% das vezes, as características fundamentais de uma pessoa não mudam.

Se você considera algum tipo de comportamento inaceitável, mude a forma como lida com ele (algo que você pode fazer) em vez de tentar mudar a pessoa (algo que você não pode fazer).

5. Se está irritado por causa de circunstâncias fora de controle, relaxe mais uma vez.

Se a psicologia nos ensinou algo é que você pode lidar com seus problemas com mais eficiência se os definir como “problemas” (que podem ser solucionados) ou “apuros” (que podem ser contornados).

Ficar preso no trânsito ou pegar um resfriado não é motivo para ficar bravo consigo mesmo. Aliás, ser pego em um colapso econômico mundial também não.

6. Se está infeliz no trabalho, encontre uma forma de se importar com o que faz.

Como o vencedor do Prêmio Nobel o escritor Albert Camus disse “o que é felicidade, além da simples harmonia entre um homem e a vida que ele tem?”.

Você não será feliz se tiver um emprego que odeia – ou se fizer um péssimo trabalho em um projeto de que gosta. Mas, se aprender a se importar com o trabalho que faz, terá mais energia e passará a gostar dele. Ou, então, é hora de mudar de emprego.

Últimas unidades

Atendendo aos pedidos, estamos reabrindo a oportunidade de ter acesso a todos os melhores produtos da Empiricus por um mês, sem compromisso.

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS

 

7. Pratique um esporte ou um exercício físico – algo que exija tanto que você não consiga pensar em nada enquanto o pratica.

Caminhada, alongamento e ioga são ótimos. Se você os praticar com uma mente tranquila, eles o deixarão mais saudável e mais feliz.

Mas, se os praticar quando estiver triste, eles não ajudarão. Você se esquecerá do exercício e ficará com os pensamentos negativos, o que só vai piorar as coisas.

Jiu-jitsu e levantamento de peso são bons exemplos de exercícios mais desafiadores. Eles exigem concentração total – você não tem tempo para pensar em mais nada.

8. Reconheça que sua saúde tem muito a ver com seu humor.

Se você se sente mal na maior parte do tempo, você deve precisar de algumas mudanças de estilo de vida:

Coma melhor. Ingerir muitos carboidratos te deixarão rabugento e cansado. Para ter energia consistente o dia todo, use os alimentos como combustível. Faça seis refeições pequenas por dia… Evite junk food… E prefira orgânicos, carne magra e bastante proteína.

Durma (e descanse) de forma adequada. Para mim, sono de qualidade é muito importante. Estudos mostram que pessoas que dormem sete horas por noite vivem mais, ficam menos doentes e realizam mais coisas porque têm mais energia. Se você estiver cansado durante o dia, tire uma soneca.

Ouça um bom médico sobre remédios antidepressivos. Costumo ser contra colocar químicos em meu corpo. Prefiro curas naturais. Mas antidepressivos ajudaram muito pessoas próximas a mim e podem ajudá-lo também. (Existem diversas clínicas que atendem pessoas com depressão no Brasil. Não tenha vergonha de procurar ajuda, é uma doença como outra qualquer. Informe-se mais aqui)

9. Parta para a ação, preste menos atenção em si mesmo e mais atenção aos outros.

Alguns exemplos:

• Faça seus amigos felizes. Sorria quando os vir. Ouça as histórias que contam. Aconselhe-os quando eles desejarem e fique quieto quando eles não quiserem ouvir. Torne-se a pessoa que procuram quando estão desanimados. Aprenda a amar – e os ajude a superar – suas falhas. Acima de tudo, seja leal.

• Seja um recurso confiável e constante para seus colegas de trabalho. Ajude-os a alcançar seus objetivos. Não por esperar algo de volta – mas por se importar com eles e desejar seu sucesso.

• Faça algo para alguém que você não conhece – um estranho, uma criança abrigada, uma pessoa pobre – que pode se beneficiar de sua ajuda. Gaste tempo e dinheiro.

• Faça desse foco exterior uma parte natural da vida. Faça consciente e deliberadamente até que ele se torne sua segunda natureza. Você saberá quando acontecer porque se sentirá feliz a maior parte do tempo. E quando ficar triste ou com raiva, será capaz de superar… De forma rápida e fácil.

Um abraço,
Mark Ford

Leituras sugeridas:

– 30 dias para mudar de vida e entender tudo de finanças
– 6 passos para eliminar o cansaço crônico
– Exija-se: cuide do corpo, da mente e das emoções

Conteúdo recomendado