O segredo das pessoas bem-sucedidas

Como pessoas bem-sucedidas usam seu tempo ocioso

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
O segredo das pessoas bem-sucedidas
Nota do editor: Caro leitor, para encerrar meu período de férias recomendo esse outro texto do Mark. Se você quer um futuro seguro, trabalho e a disciplina são os dois artifícios fundamentais para alcançar esse objetivo.

 

Como pessoas bem-sucedidas usam seu tempo ocioso

Vinícius e Ana moram no mesmo prédio e trabalham no mesmo escritório. Os dois acordam às 7 horas, tomam banho, comem e chegam ao trabalho às 8h. É nesse momento que seus hábitos começam a divergir.

Das 8h às 9h (enquanto os demais funcionários chegam ao escritório), Ana planeja seu dia e trabalha nas tarefas importantes para seus planos de longo prazo.

Vinícius também gosta de chegar uma hora mais cedo, mas prefere relaxar lendo o jornal enquanto toma seu café. Vinícius observa Ana trabalhando e sente pena dela.

“Nós dois levamos crédito por chegar mais cedo”, pensa, “mas ela trocou sua felicidade por dinheiro.”

Na opinião dele, Ana é gananciosa, tola e egocêntrica.

Ambos escolheram o que fazer no tempo livre, pois acreditam que vão se beneficiar disso. Vinícius não gosta de trabalhar. Logo, não quer trabalhar mais do que o estritamente necessário.

Mas, já que é obrigado a fazê-lo das 9h às 18h, imagina ser melhor realizar um bom serviço nesse tempo. E realiza.

Ana gosta de trabalhar. E, apesar de não apreciar todos os aspectos de seu serviço, aprecia principalmente a hora entre 8h e 9h da manhã. Pois é quando planeja seu dia, descobre o que pode realizar e trabalha em algum projeto que irá melhorar sua vida.

Lá pelas 9h, Vinícius se sente relaxado, mas um pouco triste. Em alguns minutos, o escritório estará agitado, sua caixa de e-mails transbordando e o telefone tocará o tempo todo. Ana sente-se melhor do que se sentia às 8h.

No tempo livre Ana é uma investidora e Vinícius é um gastador.

Como tal, Ana trabalha das 8h às 9h e recebe dividendos. A curto prazo, a recompensa é saber que seu dia está planejado, sua caixa de e-mails organizada e que algo realmente importante já foi realizado.

A médio prazo ela tem o benefício de um dia mais organizado. E a longo prazo, o trabalho que faz agora proporcionará diversas recompensas – salário mais alto, posição melhor na empresa, mais responsabilidade, etc.

Como um gastador, Vinícius não está disposto a trabalhar aquela hora extra todas as manhãs. Ele prefere usá-la para sua gratificação instantânea.

De modo geral, valor se multiplica com o tempo. Invista US$ 1.000 no mercado de ações hoje e pode ter certeza de que terá o dobro em torno de oito anos (supondo que o mercado cresça 9%). O mesmo princípio é verdadeiro em relação ao trabalho.

Cada hora que você investe hoje valerá muito mais no futuro. As recompensas podem ser extraordinárias, monetariamente falando.

Digamos que Vinícius e Ana ganhem US$ 20 mil por ano. Trabalhando uma hora extra por dia, durante um ano todo, Ana pode esperar aumentos salariais 20% maiores que Vinícius .Quando ele tiver um aumento de US$ 1.000 ela terá um aumento de US$ 1.200.

Pode não parecer muito no primeiro ano, mas no terceiro Ana terá subido de nível e conseguido uma posição de gerência com um salário de US$ 40.000 por ano.

Se continuar trabalhando uma hora extra por dia, acabará dirigindo a empresa por US$ 175.000 ao ano. Enquanto isso, mesmo apreciando suas manhãs, Vinícius terá tido uma ascensão profissional bastante lenta. Com sorte, ganhará cerca de US$ 55.000 por ano como gerente júnior.

Durante os 20 anos de suas respectivas carreiras, Ana ganhará muito mais dinheiro e terá uma vida material muito mais confortável. Mas Vinícius não se arrepende de sua escolha.

Afinal, ele aproveitou uma hora por dia de descanso – 5 horas por semana, 260 horas por ano, durante 20 anos – horas das quais Ana abriu mão. São 5 mil horas de “diversão” que Ana não teve.

Mas, agora, Vinícius e Ana estão com 48 anos e Ana não precisa mais trabalhar. Ela se aposentou com 4 milhões no banco. Vinícius, no entanto, é obrigado a continuar no serviço.

Com dois filhos na faculdade, uma financiamento imobiliário e outras dívidas, ele não poderia se aposentar mesmo se quisesse. Cada 40 horas por semana que Vinícius trabalha são 40 horas de lazer que Ana tem à disposição.

Ana levará apenas 120 semanas, cerca de dois anos e meio, para alcançar Vinícius em termos de tempo gasto com lazer durante todos os anos entre as 8 e 9 horas da manhã.

E Ana não será apenas muito mais rica e livre do que Vinícius, como também terá 2 mil horas extras de lazer por ano.

Esse exemplo está em dólares, pois estou aqui nos Estados Unidos. Mas a lógica é a mesma para vocês que estão aí no Brasil.

Quando decidir fazer algo, dê o melhor de si. Dedique-se ao que lhe foi designado. A construção de riqueza também começa com fazer seu melhor, organizar suas planilhas, organizar seu dia e “perder” algumas horas para depois ser recompensado.

Abraços,
Mark Ford

Conteúdo recomendado