Sete Maneiras de Comer como um Milionário

Você pode se alimentar tão bem quanto uma pessoa rica sem gastar muito

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
Sete Maneiras de Comer como um Milionário

Caro leitor,

Comida é combustível. É o que dizem alguns gurus de fitness.

“Dê a seu corpo o que ele precisa para funcionar e nada além disso. Você será mais saudável – e isso é o mais importante.”

Há momentos em que acredito nisso. Mas eles não duram muito tempo.

A fome chega, e eu quero comer – e não quero comer salada de alfafa. Eu quero algo substancioso, luxuoso e satisfatório.

Comer. Dormir. Fazer sexo. Faça-os de maneira superficial – como os gurus de fitness podem aconselhar – e as experiências vão se tornar insignificantes.

Com um pouco de paixão e imaginação, elas podem transformar sua vida.

Minha opinião? Faça valer a pena.

E, assim, faça com que cada refeição valha a pena.

Não é tão difícil quanto se pode imaginar. E também não é caro.

Você pode comer tão bem quanto um milionário por uma pequena fração da renda.

Não é preciso gastar muito dinheiro para comer bem… só é preciso gastar tempo. E você precisa se importar.

Veja como fazer:

1. Conheça o inimigo. Não consuma alimentos que fazem mal. Isso inclui alimentos que – apesar de gostosos – nos deixam doentes ou cansados. Muitas pessoas têm sensibilidade a laticínios e a produtos com glúten, mas não se importam e, às vezes, nem sabem. Há tantas coisas boas para comer. Por que se sentir mal por uma felicidade barata e temporária?

2. Coma duas vezes. Pessoas que adoram cozinhar aproveitam as refeições três vezes. Primeiro na hora de planejar, depois na hora de preparar e por último na hora de comer. Então, mesmo que você não cozinhe, planeje suas refeições. Você não precisa passar horas lendo livros de receita.

Separe alguns minutos todas as manhãs para pensar sobre o que comer e você vai perceber (a) seu prazer aumentar devido à antecipação, (b) sua seleção de alimentos aumentar devido aos minutos que você passou pensando e (c) sua cintura diminuir um pouco por causa das refeições planejadas que – estudos apontam – são mais saudáveis.

3. Respeite os epicurus. Algumas pessoas associam Epicuro (filósofo grego que tinha obra pautada pela busca da felicidade) com gulodice. Mas é umerro… ele pregava a moderação.

É impossível exagerar com as coisas boas? Todos que gostam de barras de chocolate sabem que é. O truque para fazer boas refeições é, em parte, nãocomer além da quantidade “ótima” de cada alimento. Isso se aplica a tudo, mas é ainda mais verdadeiro no caso dos alimentos que você aprecia.

Se você come além da quantidade “ótima”, duas coisas ruins vão acontecer: (a) seu prazer será reduzido até deixar de ser prazer e (b) você vai sofrer os efeitos negativos (engordando ou desenvolvendo problemas de estômago).

Um exemplo: cerveja. Nas circunstâncias corretas, ninguém gosta mais de uma cerveja gelada do que eu. Mas notei que a segunda cerveja é muito menos saborosa… e não mata minha sede tão bem. A terceira é ainda pior. O único motivo para continuar tomando cerveja é ficar bêbado – do que não gosto muito. Para mim, cerveja tem um nível de consumo “ótimo” de uma garrafa. Se eu preciso de mais álcool do que o contido em uma garrafa de cerveja, troco de bebida – escolho uma que continua saborosa depois de três ou quatro doses. (Vinho é a melhor opção nesse caso.)

4. Aproveite o tempo. Eu gosto de fazer tudo rápido – principalmente comer. O empreendedor em meu cérebro quer passar para a próxima atividade. Essa refeição? Algo a ser resolvido. Mas sei por experiência própria que não posso sentir o gosto da comida se nem a mastigo direito. Quando eu como com calma, aprecio a refeição. Quando acompanhado, também aprecio uma conversa. E quem está comigo não precisa ficar me vendo comer como umporco.

5. Mantenha o foco. Eu não acredito em ser “multitarefa”. E isso também se aplica à alimentação. Sim, é possível comer e ler ou trabalhar. Mas você não vai apreciar sua refeição como se deve. Minha recomendação é comer bem, devagar e em boa companhia. Cada mordida conta. Aproveite a experiência.

6. Busque qualidade. Escolha bons ingredientes. Além de se preparar mentalmente para apreciar sua refeição (que é o mais importante), selecione alimentos de qualidade que façam bem.

7. Jante com os amigos. Comer é melhor quando é uma atividade social. Você vai apreciar mais e terá conexões com as outras pessoas. Você também vaicomer mais devagar – e menos. Ninguém quer ser o glutão da mesa.

Em um livro chamado: NeanderThin: A Caveman’s Guide to Nutrition (guia de umhomem das cavernas para nutrição, em tradução livre), de Ray Audette, conheci uma dieta que seria possível seguir “pelado, com um pedaço de pau, no deserto”.

Ray curou sua diabetes e sua artrite cortando todos os alimentos modernos (processados). Veja os alimentos que ele escolheu:

Veja os 10 mandamentos:

COMA:

• Peixes e carnes frescos;

• Frutas;

• Vegetais (frescos);

• Nozes (amendoim não são nozes).

NÃO COMA:

• Produtos feitos com trigo;

• Carnes e vegetais processados;

• Laticínios;

• Feijões;

• Tubérculos (como batatas).

Essa é uma versão da dieta com alto teor de gordura e baixo teor de carboidrato que já recomendei antes.

Comer dessa forma vai melhorar sua vida da seguinte forma:

• Aumento de energia (carboidratos esgotam as energias, contrário à crença popular);

• Redução da vontade de comer além do necessário;

• Construção de tecidos, tendões e cartilagem;

• Melhora do sistema imunológico;

• Diminuição da gordura corporal e ganho de músculo.

Um abraço,

Mark Ford

Conteúdo recomendado