Bom até a página dois

Sempre que tenho a oportunidade de rever amigos da faculdade, faço o possível para que isso aconteça, pois com esses amigos vivi as melhores histórias […]

Compartilhe:
Bom até a página dois

Sempre que tenho a oportunidade de rever amigos da faculdade, faço o possível para que isso aconteça, pois com esses amigos vivi as melhores histórias da minha vida e também aproveitei para amadurecer um pouco, mas não muito.

O bom de encontrar o pessoal da minha antiga república é que pudemos relembrar essas histórias e também trocar experiências de trabalho totalmente diferentes.

E isso é muito bom porque ajuda a entender os trabalhos uns dos outros sem qualquer máscara que um flyer promocional de vaga cause.

Na estrada para São José do Rio Preto rumo ao nosso encontro, o Paulo, um daqueles poucos formados em engenharia que seguiu a profissão, contou que viajar constantemente pelo trabalho não é essa maravilha que se pinta por aí.

Ele trabalha como engenheiro de manutenção e como tem que viajar pelo mundo todo prestando serviço, permanece no Brasil apenas uns dois meses no ano.

À primeira vista, visitar todos os continentes “sem gastar nada” parece uma maravilha de vida, mas, segundo o Paulo, só parece legal mesmo no Instagram.

É mais um daqueles típicos casos de que nem tudo o que parece realmente é.

Foi bem o que aconteceu no mercado cripto de ontem para hoje.

Em algumas corretoras mundo afora, que negociam bitcoin e o USD tether, vimos na tela o preço do bitcoin atingir valores um pouco acima dos 7.500 dólares.

No entanto, se você parasse para olhar “a página dois” do que realmente aconteceu, perceberia algo muito mais negativo do que positivo.

Isso porque o preço que o bitcoin atingiu não foi de 7.500 dólares, mas de 7.500 USD tether.

“Mas não é a mesma coisa?”

Na maioria das situações, sim, pois a empresa por trás do tether afirma ter a mesma quantidade da criptomoeda em dólar, espalhada em vários bancos, na proporção 1:1.

Porém, muitas pessoas da comunidade cripto já colocaram em xeque essa proporção e, por isso mesmo, existe muita desconfiança quanto a esse “lastro” em dólares.

E quando essa desconfiança aumenta por algum gatilho do mercado, vemos movimentos de venda do tether em massa, como o que aconteceu de ontem para hoje.

Isso fez com que o preço do bitcoin desse esse grande salto de uma hora para a outra, dando a falsa impressão de valorização.

Quando, na verdade, o que estava acontecendo era uma aversão momentânea ao tether, e não uma força compradora de bitcoin.

Na série Empiricus Crypto Alert avisamos nossos assinantes tempos atrás sobre esse possível risco do tether – e como isso poderia ser prejudicial para o mercado.

Existem outras opções ao tether, seja em cripto, seja em moedas fiduciárias (como o real e o próprio o dólar).

E mesmo que a criptomoeda de dólar sintético seja muito prática, sempre temos que entender o risco que ela carrega.