Criptomoedas: Bolha ou Oportunidade da Década?

Criptomoedas são ativos subjacentes de uma tecnologia disruptiva que está mudando o mundo, mas são um investimento de alto risco. Portanto, para investir em bitcoins apenas tenha em mente a mesma dica que vale para os bloquinhos de Carnaval.

Compartilhe:

Já assistiu ao vídeo desta semana?

O que você faria com 200 bitcoins?

O ano de 2017 foi espetacular para as criptomoedas. Bem, isso já não é novidade, né?

Enquanto muitos desconfiavam do potencial de adoção desse novo tipo de tecnologia, outros ganharam MUITO dinheiro.

Navegando pelos fóruns do Reddit (um dos melhores canais de discussão sobre Bitcoin), um relato me chamou a atenção.

Senta que lá vem história…

A publicação original foi feita por alguém cujo nome não foi revelado. Por simplicidade, vamos chamá-lo de J.

J. era jogador de poker. Não dos profissionais. Era coisa por hobby mesmo. Jogava online e apostava usando bitcoins.

No início de 2017, J. havia acumulado 3 BTC que, à época, valiam uns 3 mil dólares.

Com aquele dinheirinho virtual na mão, decidiu ser trader. E que ano para brincar de trade, meu amigo!

Dada a escalada de 1 mil para 19 mil dólares ao longo do ano, você já pode imaginar que J. tenha ganhado uma bela de uma grana.

E ganhou mesmo. Aliás, foi além.

J. descobriu que podia operar alavancado e, assim, turbinar seus ganhos.

Chame de sorte ou destino, mas J. acumulou exatos 200 bitcoins em 2017, fruto de sua habilidade com os gráficos.

“Eu pensei que era um gênio dos trades, um deus, sei lá”, relatou ele em sua publicação.

Poderíamos encerrar este conto por aqui. Seria uma história de sucesso.

Isso se ela não fosse trágica…

J. se sentia invencível (ou “unstoppable”, já que é gringo) e decidiu se alavancar ainda mais.

O azar foi ter errado a direção do mercado. O bitcoin foi para 12 mil dólares, liquidando boa parte de sua posição.

Vendo a situação, pensou: “Vou shortear”. Errou de novo. O mercado começou a subir. Mais uma baixa na carteira.

“Beleza, agora, então, a tendência de alta voltou. Vamos de long!”, disse J.

Errado de novo. Mais 50 BTC indo para o buraco.

J. já estava sem saber o que fazer. Estava perdido naquele vaivém do mercado e quando, desesperado, buscou um trade para minimizar suas perdas, veio o golpe fatal.

Tudo perdido. Zero bitcoins em conta.

Aquele (finado) dinheiro era tudo o que J. tinha. Ele estava devastado, em completo choque. E agora já não possuía mais nada. Sua trajetória o havia levado à ruína.

Infelizmente, essa é uma história baseada em fatos reais, com algumas pequenas adaptações.

Me lembrei dela porque, anteontem, já na hora que ia embora da Empiricus, um amigo de trabalho me perguntou: “Cara, por curiosidade, você tem todo o seu dinheiro em criptomoedas?”.

Como você deve imaginar, minha resposta foi um sonoro “Não!”

Criptomoedas são incríveis, são os ativos subjacentes de uma tecnologia disruptiva que está mudando o mundo, mas são um investimento de alto risco.

 
Pelo teor do relato de J., ele provavelmente tinha todo seu capital em bitcoin, algo que não sugiro a ninguém. Pois, veja, a lição número 1 para qualquer investidor é: afaste-se do risco de ruína. Investimento é um jogo de sobrevivência, não de tudo ou nada.

Agora, perceba algo interessante: J. não perdeu tudo porque a tal bolha das criptomoedas estourou. Foi excesso de confiança. Seu all-in foi sua derrocada. Ele poderia muito bem ter colhido lucros incríveis mesmo com a recente queda expressiva dos ativos.

Ao longo de seus ciclos, esse é um mercado que possibilita ganhos estratosféricos. Justamente por isso, sua “aposta” deve ser baixa.

Você investe pouco para ganhar MUITO, não o contrário.

Por isso, continua válido aquele velho mantra: invista aquilo que você pode perder.

Pode ser que esses ativos todos caiam a zero e você perca tudo? Pode. Mas também pode ser a oportunidade da década. Se for, é bom estar posicionado.

Apenas tenha em mente a mesma dica que vale para o bloquinho de Carnaval: se proteja e beba com moderação.

P.S.: Se você ainda não assistiu à LIVE do CryptoTalks desta semana, não deixe pra depois do Carnaval! Assista já.