Uma pergunta importante na hora de avaliar um projeto de cripto

A palavra “blockchain” deixou a história toda mais sexy (quem não curte uma moda, né?). Acho que vou trocar meu nome para Vinícius Blockchain, e ver se chamo mais atenção também…

Compartilhe:
Uma pergunta importante na hora de avaliar um projeto de cripto

Em dezembro do ano passado, uma companhia norte-americana chamada Long Island Iced Tea – que, como o próprio nome diz, é fabricante de chá gelado – resolveu que era hora de “inovar”.

Após aquele rebranding maroto, passou a se chamar Long Blockchain Corp., sob o pretexto de “estabelecer parcerias ou investir em companhias que desenvolvem registros descentralizados conhecidos como blockchain”.

A palavra “blockchain” deixou a história toda mais sexy (quem não curte uma moda, né?) e as ações da empresa subiram incríveis 289%.

Acho que vou trocar meu nome para Vinícius Blockchain, e ver se chamo mais atenção também…

Brincadeiras à parte, o ponto central é que a adição da palavra “blockchain” ao nome foi mais uma jogada de marketing do que qualquer coisa.

É o novo “.com”, em alusão ao que aconteceu na mania das empresas de internet no início do milênio.

Em cenários como esse, o investidor precisa ter cuidado e fazer algumas perguntas antes de investir em um determinado projeto.

Veja, é natural que, em meio a um processo de inovação, surjam coisas muito boas e outras muito ruins. Mas é preciso ter atenção.

Palavras como “blockchain”, “descentralizado” e “tokenização” estão na moda. Por isso, a pergunta crucial é: precisa mesmo disso?

Ao ver uma nova proposta tecnológica, faça as perguntas:

1. Este projeto precisa usar o blockchain? Quais são as vantagens?

2. Se é descentralizado, o que isso realmente significa? O Bitcoin é descentralizado porque não há órgão central que o controle. O mesmo pode ser dito de um projeto com uma empresa/organização por trás?

3. Será criado um token? Para que exatamente? Faz sentido, como investidor, possuir esse token ou ele é um simples veículo de interação entre a equipe do projeto e o cliente?

Se você não encontrar respostas satisfatórias para essas perguntas ou, pior, nem tiver como respondê-las por falta de informações mais claras sobre o projeto, eu diria que não é uma boa investir no ativo em questão.

O mercado está repleto de falsas promessas e projetos mal fundamentados. Sendo assim, nada melhor que focar em projetos sólidos e consistentes.

Falando em mercado, os ativos acordam hoje um pouco mais otimistas, com o bitcoin mostrando que poderemos ter uma mudança de tendência ou, pelo menos, interrupção do movimento de baixa recente (mais sobre isso na seção do Rafael Rabello abaixo).

Spread no Brasil segue controlado, em 0,65%, segundo dados do incripto.com.br, com investidores cautelosos e o market cap agregado do mercado na faixa dos 330 bilhões de dólares.

Estamos de olho nos próximos dias.

Top 3 highlights do criptomercado

A rapidinha chega no e-commerce. Saiba mais aqui.

Quem te viu, quem te vê… Saiba mais aqui.

A privacidade das transações está cada vez “mais segura”. Saiba mais aqui.