A vida como ela é

O diabo da renda variável, porém, é que ela varia. A Bolsa é um mecanismo de transferir riqueza daqueles que não têm paciência e sangue frio para aqueles que têm.

Compartilhe:
A vida como ela é

[F(x+dx) + F(x-dx)]/2 > F(x)

Ou… Convexidade.

Se você tiver de aprender uma coisa para a gestão de seus investimentos – uma só –, fique com as expressões acima. Elas representam o mesmo conceito.

Se você não entendeu nada até aqui, não tem problema. A culpa é minha. Sou mesmo um idiota. Disso já sabemos. E eu sei também que em alguns minutos chegará um e-mail do Caio em minha caixa de entrada reclamando da complexidade do texto. Ele tem razão, tudo bem – embora eu, secretamente, sem que ele saiba, às vezes me pergunte por que as igrejas continuam tão cheias de gente com padre falando na segunda pessoa do plural aquele tanto de mesóclise.

Hoje vou contar uma história. Nada de teorias, recomendações ou elucubrações. Apenas um causo, descrito sem paixão. Fatos e dados narrados tais como aconteceram. Não sei como, só sei que foi assim. Da narrativa, inferimos uma valiosa lição para o futuro, usando o caso particular para formar uma estratégia geral. Ao menos, assim espero.

Na edição de 14 de março do Palavra do Estrategista, indiquei a compra de PETRE56, opções de compra de PETR4, com preço de exercício de 26,50 reais e vencimento em 21 de maio. À época, as opções estavam a 45 centavos.

Embora eu tivesse insistido se tratar de um derivativo de altíssimo risco, sobre o qual o investidor deveria dispor apenas algumas migalhas, explicitamente “o dinheiro da pinga e não do leite”, veio a turminha de sempre, com os elogios de sempre: “Irresponsável, maluco, golpista, selvagem, exagerado”.

Ao final, mais uma vez, a realidade insistiu em sua deselegância, em seu não comedimento e em sua linguagem nada moderada.

De maneira bastante interessante, 8.174 pessoas compraram a opção, contra apenas 80 lançadores (vendedores). Pelo que me consta, isso nunca havia acontecido antes no mercado de capitais brasileiro.

Talvez você não tenha muito bem a dimensão exata do que isso representa. Até então, a série aberta com maior número de pessoas detentoras de opções de Petrobras tinha 1.200 pessoas nela posicionada. Raramente, a soma dos compradores e vendedores de uma opção no Brasil ultrapassa dois mil.

Do total de negócios, 90% das compras foram executadas pela XP (Guilherme, acho que podemos voltar a ser amigos, hein?) e 95% das vendas vieram do Credit Suisse. Ou seja, no geral, pessoas físicas na compra, institucionais na venda.

Óbvio que não seria fácil. Na sequência da recomendação, resultados trimestrais considerados ruins e frustração com o adiamento das conversas sobre cessão onerosa. A tal opção, comprada a 0,45, chegou a valer 1 centavo.

E aumentam os decibéis: “Irresponsável, maluco, golpista, selvagem, exagerado”.

O diabo da renda variável, porém, é que ela varia.

Olha lá o petróleo subindo, a taxa de câmbio disparando, a Merrill Lynch elevando a recomendação das ações para compra, a cessão onerosa batendo na porta…

Muita água passou sob a ponte. Ontem, dois meses depois da sugestão inicial, indicamos a venda das respectivas opções. Quando disparamos o alerta, PETRE56 valia 69 centavos. Um ganho de 53% em dois meses.

Não é hipótese, suposição, ideia, exagero. Apenas foi. Aconteceu.

E se eu narro o percurso com esse nível de detalhe, não é para vangloriar-me do acerto. Tenho plena convicção de que dei sorte. Também sei que foi dolorido e, por várias situações, eu mesmo pensei que não daria certo. Deixo claro ainda que já errei muitas outras vezes no passado; outros vários equívocos virão no futuro, por mais que me esforce.

As coisas que posso lhe prometer são sangue, suor e lágrimas. Se puder guardar outras melhores, que sejam duas:

i. A Bolsa é um mecanismo de transferir riqueza daqueles que não têm paciência e sangue frio para aqueles que têm; e
ii. Não há nada linear em Bolsa. “Life is long gamma.”

Mercados iniciam a quarta-feira próximos à estabilidade, monitorando mais um dia de alta para o dólar contra a maioria das moedas emergentes. Argentina é exceção, com alívio após rolagem de bonds na véspera. Tensão na Turquia também se ameniza em meio a declarações mais enfáticas do banco central local.

Internamente, destaque para a reunião do Copom, que deve cortar a taxa Selic em 25 pontos-base, para 6,25%, e sinalizar fim das reduções diante da alta do dólar e do cenário externo mais complicado. IGP-10 de maio apontou inflação ligeiramente acima do esperado, enquanto IBC-Br teve queda de 0,13% no primeiro trimestre, ficando abaixo das projeções.

P.S.: Hoje acontece a terceira aula do curso “Brasil Investidor”, às 15h, ao vivo e 100 por cento gratuito, no nosso canal do YouTube. Se você tem alguma dúvida sobre fundos de investimento, não pode perder. Mande suas perguntas para brasilinvestidor@empiricus.com.br. Para conferir a programação completa da Empiricus na 5ª Semana Nacional de Educação Financeira, clique aqui.