Day One

Bem-vindo(a) ao Super Renda Fixa

É possível que você já tenha me visto na sua área logada. Desde maio deste ano, integro o seleto time de analistas da Empiricus como responsável pela seleção de fundos de investimentos globais da série Os Melhores Fundos de Investimento.

Compartilhar artigo
Autor
Lais Costa
Data de publicação
7 de dezembro de 2021
Categoria
Day One

Caro assinante,

Bem-vindo(a) ao Super Renda Fixa.

É possível que você já tenha me visto na sua área logada. Desde maio deste ano, integro o seleto time de analistas da Empiricus como responsável pela seleção de fundos de investimentos globais da série Os Melhores Fundos de Investimento.

Para os que ainda não me conhecem, sou a Laís Costa, mineira, engenheira eletricista de formação e especialista em finanças pela Columbia University (EUA).

Iniciei minha carreira no mercado financeiro em Nova York, onde fui responsável pela cobertura macroeconômica e recomendação de investimentos de renda fixa em mercados emergentes asiáticos e posteriormente me juntei ao time de cobertura do mercado brasileiro.

Foi com muito entusiasmo que recebi o convite para ser também responsável pelas indicações de renda fixa da Empiricus, ciente sobretudo da magnitude da responsabilidade do desafio.

A criação da Super Renda Fixa tem como objetivo responder a uma das perguntas mais frequentes que recebemos dos nossos assinantes: em quais ativos você investiria hoje?

Essa pergunta vai ao encontro do anseio de investidores que procuram fazer movimentações em seu portfólio, receberam os recursos de algum investimento que acabou de vencer, tiveram alguma renda extra no mês ou ainda daqueles que procuram iniciar sua jornada de investimento e querem receber, em primeira mão, um cardápio de oportunidades no mercado de renda fixa.

Assim como os gostos culinários são diversificados, o apetite a risco também é. Por isso, você deve encontrar por aqui opções que atendam a perfis mais conservadores assim como opções mais apimentadas, ou seja, papéis com taxas mais altas e que carregam um maior risco. Mas fique tranquilo, no cardápio você encontrará observações sobre os riscos baseados em nossas análises.

Independentemente do seu gosto, o cenário macroeconômico é bastante convidativo.

Nesta quarta-feira (8), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central deve anunciar mais um aumento da Selic, a taxa básica de juros da economia. A expectativa de mercado é de uma alta de 1,5 ponto percentual, para 9,25% ao ano. Atualmente, o mercado precifica uma Selic máxima em torno de 12% em meados de 2022; ou seja, o ciclo de alta das taxas pode se prolongar pelo primeiro semestre do ano que vem. 

Em relação à inflação, os números seguem pressionados. Os economistas esperam que o IPCA de novembro, que será divulgado na próxima sexta-feira (10), tenha um aumento em torno de 1,10% em relação ao mês anterior e 10,9% em relação a novembro de 2020. 

Dado o cenário de curto prazo de inflação e aperto monetário, vemos oportunidades em títulos prefixados de curto prazo que se beneficiariam com a redução das incertezas políticas e fiscais e pós-fixados indexados ao CDI e à inflação nos vértices mais longos da curva.

Para o nosso cardápio desta semana, selecionamos os papéis de Banco Pan e Raízen, empresas com excelente classificação de risco e ativos com rentabilidade indexada ao IPCA, aqueles que remuneram o investidor a uma taxa que chamamos de juro real e garantem a manutenção do seu poder de compra através da parcela do IPCA.

Os ativos escolhidos oferecem 0,44% e 0,68% acima da NTN-B correspondente, para o investidor geral, respectivamente.

Os emissores já são conhecidos por aqueles que nos acompanham há algum tempo e seguem com a nossa avaliação positiva. De todo modo, vale lembrar que todos os ativos estão sujeitos a riscos de mercado e oscilações das taxas de juros. Ademais, o CDB recebe garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até R$ 250 mil por emissor e por CPF.

Um abraço,
Laís e Diego