Ousadia e Alegria

Compartilhe:
Ousadia e Alegria

Noite de 24 de dezembro. Família reunida, aquele clima de confraternização. Depois da quarta garrafa de vinho aberta, acompanhando os bolinhos de bacalhau que só a querida Solange faz, tio João se aproxima para falar de investimentos.

Ao ouvir sobre o assunto, primo Marcelinho, sempre muito interessado, chega mais junto para discutir sobre as recomendações para 2018. Ambos preocupados onde alocar seu dinheiro neste ano tão intenso de eventos.

Esta cena recorrente em todas as reuniões de família teve algo diferente desta vez: a minha resposta.

Curioso? Então anota aí a primeira resolução de 2018: o ano que precisaremos ser ousados em nossos investimentos. Ousadia e alegria – este é o lema.

Explico com detalhes.

Mas antes faço uma confissão a você: lido com investimentos em ações há 15 anos, mas meu perfil sempre foi mais moderado, mesmo sendo um equity guy. Talvez por ter visto meu pai ganhar e perder inúmeras vezes no mercado de renda variável, sempre mantive boa parte do meu patrimônio em colchão de liquidez.

Contudo, no ano passado, ousei e não me arrependi. Investi em fundos de ações, aumentando minha alocação em renda variável. Fiquei extremamente feliz ao ver as cotas dos fundos nesta semana.

Vou além. Este ano pode ser ainda melhor. Temos condições únicas que propiciam uma tomada maior de risco.

Chegamos a menor taxa Selic de nossa história (7%; 6,5% talvez mais à frente?). Tio João e primo Marcelinho não mais verão aquele 1% ao mês no seu fundo DI, CDB ou LCA/LCI. Sentar em cima daquele CDI gordo não é mais a nossa realidade.

Inflação controlada e economia voltando a crescer completam o quadro benéfico.

Neste sentido, tive a oportunidade de ir a shoppings em SP, andei pelas ruas do Rio e também do interior fluminense onde moram meus pais. Gosto de sentir a economia real em cenários distintos.

Vi ousadia neste final de ano em todos os lugares. Lojas cheias, prateleiras do supermercado sendo repostas a todo momento, trânsito nas estradas. Este é um importante termômetro para medir a confiança do brasileiro com 2018.

Confiança gera investimento e consumo. Estes resultam em maior crescimento do PIB. Veremos os lucros das companhias se expandirem em 2018. A consequência? Ações se valorizando.

Portanto, meu caro, se quisermos retorno em nossos investimentos, temos que tomar mais risco. É hora de sair da zona de conforto. Coragem e ousadia.

Bom momento para olhar com carinho as recomendações da nossa equipe de analistas que está focada nos melhores cavalos para 2018; se interessar por aquele crédito privado que a Marília seleciona com maestria, ou seguir aquele fundo multimercado que só a Luciana te recomenda. E como esquecer das minhas queridas microcaps: potencial de valorização é com elas mesmo.

Reitero. Não vamos abrir mão do colchão de liquidez. Este deve estar sempre lá, respondendo pela maior parte do seu patrimônio, dando-lhe segurança e respostas rápidas às necessidades cotidianas.

Mas, entre nós aqui, vamos ousar um pouquinho? O momento é propício.

Max, e as eleições? É justamente daí que pode vir a alegria. Lembre-se do lema: Ousadia e Alegria.

Sim, teremos que ser corajosos para montar nossas posições sem saber ao certo quem comandará nosso país a partir de 2019.

Estamos cansados da política tradicional, irritados com altos índices de corrupção. Vivemos um déficit de representatividade. Pessoas não sentem que os governos defendem seus interesses.

É hora de mudar. Tenho fé que teremos um candidato com perfil renovado, capaz de levar adiante uma agenda de reformas em 2019, não descartando os importantes avanços já vistos até aqui.

Meirelles, Maia?? Qualquer um destes estará comprometido com esta agenda que culminará em um ciclo de crescimento e na apreciação dos ativos de risco.

Por isso, tio João, Marcelinho, você. Reconheço que temos que apertar os cintos diante da incerteza política do primeiro semestre. Mas ser ousado agora com parte do seu patrimônio poderá lhe garantir alegrias na segunda parte do ano e em 2019.

Coragem! Encaremos de frente este 2018 que promete.

E o primeiro pregão do ano chegou, chegando e já encheu os investidores de alegria. Ibovespa renovou sua máxima histórica, cravando uma alta de 2% (77.891 pontos e R$ 8 bilhões de giro financeiro). Belo pontapé inicial!

Animados com a possibilidade de uma taxa Selic menor e Lula como uma carta fora do baralho eleitoral após julgamento no final do mês, investidores continuam envolvidos por um clima de otimismo. Ibovespa futuro abriu com leve alta, dólar se desvaloriza diante do real e juros futuros fecham.

Lá fora, o ambiente global positivo sustenta as bolsas europeias no azul. Vale destacar a importância da ata do Fed hoje como uma sinalização do rumo dos juros americanos ao longo de 2018 e que acaba mexendo os mercados no mundo todo.

Feliz 2018 para seus investimentos!