Má educação

Se tivermos conferências de resultados com investidores de carne e osso de um lado e controladores ou fundadores do outro, posso lhe garantir que serão eventos deliciosamente deseducados, muito além da burocracia e vaidade atuais.

Compartilhe:
Má educação

Para a imprensa mainstream, Elon Musk agora é arrogante, petulante e deseducado.

Jobs era visto assim também, não por coincidência.

Veja, antes de continuar aqui por esta toada: não tenho ações da Tesla, não estou preocupado se TSLA vai subir ou cair; apenas admiro a empresa cutucando o status quo.

Independentemente de triunfar ou afundar no “cash burn”, seu benefício social já foi comprovado ao induzir uma profunda transformação dos mercados de automóveis e de energia.

Voltando agora às qualidades de Musk… Simplesmente não há como ser disruptivo e, ao mesmo tempo, 100% humilde, modesto e polido.

Quase todas as pessoas educadíssimas que eu conheço são também chatíssimas e pouco inteligentes.

Se você faz questão de ser sempre educado e usa expressões do tipo “kimono aberto”, você está preocupado demais com sua imagem e reputação perante os outros. Isso é um mau sinal.

Então qual foi o pecado de Musk?

Semana passada, durante o call de resultados, o fundador da Tesla considerou monótonas as perguntas dos analistas de Wall Street.

Entediado com a inquisição financista, Musk preferiu receber dúvidas de carne e osso pelo YouTube, vindas de investidores com o cu na reta e de pessoas que efetivamente compraram carros da Tesla.

Desconfio que esse seja o futuro de todas as conferências de resultados.

Hoje, os calls são quase sempre ditados por analistas platonistas do sell-side, fascinados por notas de rodapé.

“Se me permitirem um follow up, podem me explicar a dinâmica desse mútuo de 2,6 milhões de reais entre partes relacionadas?”

“Gostaria de entender melhor o impacto desta despesa de regularização de débitos fiscais, que estava na linha de outras despesas, de 8 milhões de reais.”

“Esse crescimento de 14,27% year over year dessazonalizado que vocês reportaram no segmento de pequenas grandes contas é sustentável para o próximo trimestre?”

Meu Deus! De onde vêm essas perguntas?

Elas vêm da obsessão pelos modelos. Planilhas de DFPs que engatam em planilhas de DCF. Just like boys playing in a sandbox.

O engraçado é que esses mesmos analistas do sell-side, quando em reuniões da Apimec, tiram sarro do tiozinho bigodudo que levanta a mão para perguntar se o dividendo pode aumentar um pouco.

Pragmaticamente, o que é mais relevante?

Dividendos adicionais caindo no seu bolso (qualquer que seja o bom motivo)?

Ou o mútuo para regularização de débitos dessazonalizados?

Se tivermos conferências de resultados com investidores de carne e osso de um lado e controladores ou fundadores do outro, posso lhe garantir que serão eventos deliciosamente deseducados, muito além da burocracia e vaidade atuais.