Encaminhe para ela

Como mulheres apaixonadas por finanças, nos choca e nos decepciona ver tão poucas investidoras ao nosso lado. Sendo assim, hoje fizemos essa mensagem para você encaminhar para uma mulher e convencê-la que essa aversão a falar em dinheiro custa caro não apenas para ela própria.

Compartilhe:
Encaminhe para ela

Hoje é aquele dia em que vamos receber uma flor no self-service, talvez uns chocolates na saída do cinema e muitas mensagens com fundo rosa. Hoje é aquele dia em que lembramos que ganhamos menos do que eles nas mesmas funções, que somos mais vulneráveis ao desemprego, mesmo estudando mais, e que somos em poucas no mercado financeiro.

Como mulheres que escrevem sobre investimentos, recebemos com frequência e-mails de você, investidor, com pedidos de socorro para convencer sua esposa, filha, mãe ou irmã a se interessar e efetivamente cuidar do dinheiro delas. Infelizmente, nosso gênero não trouxe essa resposta no DNA. Mas, como mulheres apaixonadas por finanças, nos choca e nos decepciona ver tão poucas investidoras ao nosso lado. Estamos todos juntos nessa briga.

Sendo assim, hoje fizemos essa mensagem para você encaminhar a ela e convencê-la, com base em fundamentos – nem sempre agradáveis de se abordar –, que essa aversão a falar em dinheiro custa caro para toda a família:

(Coloque o nome dela aqui)

Quando eu me for, você vai ficar – provavelmente por sete anos mais. É possível que esteja aposentada ou desempregada e, embora eu quisesse que você tivesse tranquilidade para lidar com esse luto, sei que precisará dedicar, pela primeira vez, tempo a um assunto ao qual tem verdadeira aversão.

Torço para que se cerque de um advogado de confiança. Eu tenho feito minha parte: deixo a papelada toda organizada pensando naquele dia sobre o qual não gostamos de falar. Queria poder dizer que nossas filhas vão ajudar você neste momento, mas vejo que elas têm reproduzido esse mesmo padrão com relação às finanças.

Adoraria que você percebesse a necessidade de construir um conhecimento para ser dona da sua própria vida em qualquer hora, especialmente nessa.

Você saberia que, lá em 2017, quando os juros despencaram e você ignorou todos os alertas para pensar além da renda fixa (e pensar em todo aquele dinheiro na caderneta de poupança da Caixa…), deixou de ganhar dinheiro de verdade. Lembra que, com aquele investimento que eu fiz na Bolsa, conseguimos dar entrada no nosso apartamento?

Adoraria estar confortável agora sabendo que esse patrimônio que deixei será suficiente para as despesas que se aproximam. Infelizmente, você se incomodou com minha insistência para portar aquela previdência que nunca bateu o CDI por um plano rentável e barato, só porque não tinha a marca do bancão.

Você sempre me pareceu tão ciente das batalhas a se enfrentar no seu trabalho… E eu até reclamava das vezes em que você saía antes de mim e voltava muito depois para casa. Já para investir o tão suado dinheiro que ganhava, você nunca encontrou tempo.

Lembra que eu reclamava que nosso gerente oferecia produtos medíocres para você e arrojados para mim? Sempre tentei fazer você enxergar de forma mais crítica essa diferenciação que o banco fazia de nós.

Esta carta cheia de lamentos bem que poderia ser um testamento, mas preferi antecipá-la. Ainda dá tempo.

Por isso, tenho três sugestões para você começar:

1. Tire de uma vez por todas esse dinheiro da poupança. Nem é preciso entender de investimentos para ver que o seu patrimônio não está crescendo lá. Ou você achou suficiente ganhar 6,6% em 2017? Sem o menor esforço, deixei meu dinheiro do dia a dia em um fundo DI barato e ganhei 8,2%. Sim, já descontado de imposto.

2. Tope um pouco de risco, nem que seja com só 5% do seu patrimônio. Enquanto a maior parte do seu dinheiro estava naquela previdência ruim do bancão, sem entregar sequer o CDI, a Bolsa me rendeu 27% apenas no ano passado.

3. Você não precisa ser Ph.D. em Finanças para cuidar do seu dinheiro. Eu aprendi grande parte do que sei ao assistir vídeos no YouTube, ao ler textos leves, de gente como a gente, que escreve sobre investimentos e colocando em prática: errando, aprendendo e recomeçando.

Dá uma satisfação tremenda ter controle do seu dinheiro. E eu adoraria compartilhar isso com você.

Confia em mim?

Esperamos ter ajudado. Aproveitando essa ocasião única de escrevermos juntas, conseguimos um combo especial unindo nossos dois filhos: Você Investidor e Os Melhores Fundos de Investimento. É uma ótima forma de começar.

Por ora, talvez você queira saber que o mundo espera hoje os anúncios do presidente Trump quanto às tarifas e restrições a importações, que devem vir à tarde. Resta saber se o Brasil ficará ou não de fora da brincadeira, o que tem efeito sobre os preços das nossas siderúrgicas em Bolsa.

De fora também vêm os dados de auxílio desemprego nos EUA e decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE).

Do lado de cá, temos número de safra agrícola e a prévia do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de março.

O Ibovespa Futuro abre em alta de 0,23%, dólar começa o dia estável contra o real e juros futuros iniciam em queda.