Novos tempos

Nesta semana tornamos pública a intenção de nos unirmos societariamente aos sócios da Vitreo. Em resumo, estaremos nos unindo com a Vitreo em uma sociedade única. Isso se dará por meio da criação de uma holding, que se chamará Universa.
Novos tempos

Nesta semana tornamos pública a intenção de nos unirmos societariamente aos sócios da Vitreo.

Em resumo, estaremos nos unindo com a Vitreo em uma sociedade única. Isso se dará por meio da criação de uma holding, que se chamará Universa.

Empiricus e Vitreo continuarão existindo separadamente. Os negócios, mantidos apartados, seguirão sendo conduzidos de maneira autônoma e independente.

Em sua longa e exitosa trajetória de 11 anos, a Empiricus sempre se orgulhou por ter ajudado na formação e no desenvolvimento de centenas de milhares de investidores individuais.

Na nossa busca incansável por trazer as melhores ideias de investimento aos nossos assinantes, fomos os responsáveis pela criação de toda uma indústria de recomendações de investimentos dentro de um modelo independente.

Há tempos, porém, fomos percebendo que nosso trabalho muitas vezes era posto em risco, já que as plataformas de investimento existentes no mercado estão estruturadas em bases conflitadas.

Foi assim que recebemos com entusiasmo a proposta original da Vitreo de estruturar fundos temáticos inspirados nas carteiras da Empiricus.

Verificamos nos sócios da Vitreo os mesmos princípios de transparência e compromisso com o cliente que sempre nortearam os nossos trabalhos.

Formamos então uma parceria comercial em que apresentávamos aos nossos assinantes a alternativa de investir diretamente nos fundos da Vitreo a fim de se expor às estratégias recomendadas pelos nossos analistas.

Com isso, os assinantes da Empiricus passaram a ter mais um opção de investimento caso desejassem a comodidade de ter suas posições implementadas automaticamente na forma de um fundo.

A comunhão de valores entre os sócios de ambas as empresas, em conjunto com a recepção positiva por parte dos nossos assinantes à proposta de valor apresentada pela Vitreo — já são mais de 75 mil clientes ativos lá —, criou as condições para que estreitássemos mais a parceria entre as empresas.

Estamos convencidos de que a nossa futura sociedade trará um impacto amplamente positivo ao mercado de investimentos, oferecendo ao investidor pela primeira vez transparência total, colocando-o no centro do nosso modelo de negócios.

Do lado da Empiricus, manteremos nosso modelo de recomendações totalmente independentes e de altíssimo nível que podem ser executadas em qualquer corretora, em um negócio baseado em assinaturas. Em seu Day One de sexta, o Felipe compartilhou nossa visão para a Empiricus do futuro.

No caso da Vitreo, daremos aos clientes total transparência: planos de acesso básico sem cobrança de corretagem, rebates de fundos fixos (com os excedentes devolvidos aos clientes) e spreads dos produtos de renda fixa tabelados. 

Isso é revolucionário no mercado. Na indústria financeira 1.0, havia o gerente do banco, que empurrava os produtos da casa. Na 2.0, o agente autônomo, incentivado a sugerir produtos de maior comissão. Estamos inaugurando o modelo 3.0: pela primeira vez haverá uma empresa com escala cujo propósito é não ter conflitos de interesse que prejudiquem o investidor.

Deixo você agora com os destaques da semana.

Boa leitura e um abraço,
Caio