62.560.964

Falhei? Ainda são 62.560.964 pessoas com dinheiro na Poupança. Juntas, elas acumulam R$ 664 bilhões. Gente pra caramba buscando conforto financeiro. Gente pra caramba que eu sei que não vai conseguir.

Compartilhe:
62.560.964

É o número de investidores do varejo com dinheiro na poupança. É mais do que número, é verbo: fracassei.

– Luiz Alves, dinheiro traz felicidade?

– Não – respondeu prontamente um dos maiores investidores individuais da Bolsa brasileira, com R$2,1 bilhões em ações –, mas traz conforto!

Um flashback da fase de maior perrengue da minha vida: bolsista de mestrado. Dois mil reais para pagar aluguel, condomínio, água, luz, internet, celular, xerox, comida, transporte… e remédio. Uma infecção brava e uma semana de molho tomando antibióticos. A religiosa planilha de gastos estourada e, com ela, a estreia no cheque especial. Adeus, sono.

Surge então uma meta: não quero ser rica, quero ter conforto.

Um problema de saúde, uma batida de carro ou uma viagem de férias com a família, um cinema a dois… Preciso poder arcar ao menos com isso – sem sofrimento.

Mais: não quero ter conforto só para mim. Quero para minha mãe, meus irmãos, meus primos, amigos, quero até para o taxista. Megalomania juvenil?

62.560.964 pessoas… Com R$664 bilhões na poupança!

O sonho do meu pai era que eu fosse médica, como ele. No dia em que fui fazer a inscrição para o vestibular, ele não se aguentou. Me chamou e disse que eu não precisava ser neurologista, como ele, quem sabe pediatra…Cursei jornalismo. Era parte do plano: traduzir temas complexos para um grande número de pessoas. Projeto final de curso: jornalismo para quem não entende economia. Estágio na Rádio CBN

Como disseminar e multiplicar o que não se conhece? Adeus, emprego estável e casa da mamãe. Malas prontas… partiu mestrado em Economia! E o perrengue. Blog “Economia Clara”, cartazes espalhados pela faculdade, página do WordPress atualizada a cada segundo… Alcance nulo.

Uma vaga em um respeitado jornal de grande circulação – pronto! Acolhida e respeitada da Faria Lima ao Leblon, prêmio de educação financeira da CVM

E a Avenida Paulista, a Freguesia do Ó? E a conversa do elevador, do consultório médico, o papo de bar…

R$664 bilhões… na poupança?

Se o retorno de 2017 se repetisse em 2018 (o que não é verdade, porque o ano já tem sido bem pior para a caderneta), essa galera toda deixaria na mesa R$9,2 bilhões.

Quase R$10 bilhões rasgados por não estarem aplicados em um produto tão seguro, líquido e prático quanto a poupança, porém mais rentável.

Não curo pessoas como meu pai; não melhoro a saúde pública, como meu irmão; não inspiro as pessoas por meio da arte, como minha mãe; não urbanizo favelas, como minha irmã… O que eu faço por esse mundão? O que vou dizer na porta do céu? Fiz os ricos mais ricos?

Partiu Empiricus e seu alcance monstruoso. Exposição, cara à tapa, queixa de bancão, sentimento de pequenez… vitória!

30 mil assinantes. E daí? São 62.560.964 pessoas na poupança.

Gente pra caramba buscando conforto financeiro. Gente pra caramba que eu sei que não vai conseguir. Quanto conforto adicional R$9,2 bilhões seriam capazes de proporcionar?

Como eu durmo com essa agora?

Há uma nova ameaça para seu dinheiro