Fazendo a América

A maior das afiliadas americanas do Agora Group, a Agora Financial, está lançando a versão brasileira de suas publicações, agora 100% em português e focada na nossa audiência. 

Compartilhe:
Fazendo a América

Por conta das minhas últimas newsletters, inspiradas em minhas férias nos Estados Unidos, tenho sido recorrentemente taxado de “americanófilo” por alguns dos meus leitores.

Vários lembram que dou ênfase apenas aos aspectos positivos da terra do Tio Sam, negligenciando questões não resolvidas por lá, como a divisão racial, a obsessão por armas de fogo, a ausência de um sistema público de saúde e a beligerância internacional.

Há aqueles que citaram trechos das newsletters do próprio Bill Bonner, sócio-fundador da Agora (nossa parceira norte-americana). Bill é um crítico contumaz dos Estados Unidos de hoje, e sempre pinta um cenário sombrio para o futuro de sua nação.

Existem também os inflamados patriotas, oriundos dos dois extremos do espectro ideológico, chamando-me de entreguista. Esses me “incentivaram” a fazer logo as malas e mudar para minha “amada Miami”.

Pois bem.

Dou razão aos meus detratores e às suas críticas.

Não sou sociólogo, historiador, tampouco economista, portanto, não disponho do instrumental analítico para me aprofundar em análises complexas sobre a sociedade e a economia norte-americanas.

Sou um administrador de empresas, empresário e um tremendo “paga-pau” da América.

Os Estados Unidos representam tudo de bom – e de ruim – que existe no capitalismo, o mais imperfeito, porém único sistema econômico viável que existe. Portanto, admirar os Estados Unidos é prestar homenagem ao próprio capitalismo.

Quer experiências sociais “progressistas” e uma sociedade mais solidária e fraterna? Procure em outro lugar, pois, nos Estados Unidos, “when money talks, bullshit walks”.

E a minha admiração pelos americanos só fez crescer após a entrada, em 2013, do Agora Group dentro do capital da Empiricus.

Até então, éramos uma tentativa de empresa, sofrendo com a falta de um modelo de negócios que desse escala e dimensão empresarial. A entrada do sócio americano, com sua gestão de negócios lapidada em quatro décadas no mercado mais competitivo do mundo, catapultou a Empiricus para a sua atual posição de destaque no Brasil, com seus 200 mil assinantes pagantes.

Outras iniciativas se seguiram, como Jolivi e Inversa. Ambas com sucesso e ambas com os americanos como sócios.

Mas faltava ainda a torta de maçã com jabuticaba, algo que aproximasse de vez o brasileiro da imensidão de oportunidades que só uma potência oferece.

A maior das afiliadas americanas do Agora Group, a Agora Financial, está lançando a versão brasileira de suas publicações, agora 100% em português e focada na nossa audiência. E quem melhor para liderar isso do que um brasileiro radicado nos Estados Unidos há 16 anos, cuja única ocupação é prospectar o que de melhor existe no universo de investimentos de lá?

Evaldo Albuquerque, o piauiense que fez a América, não perdeu tempo e marca sua estreia no Brasil revelando a maior janela de oportunidade para lucrar com o IPO da Uber. Evaldo está empolgadíssimo com as perspectivas de ganho, mas alerta que é fundamental se posicionar agora, para aproveitar integralmente todo o upside do investimento.

E eu, americanófilo assumido, compartilho da empolgação do Evaldo. Trazer o melhor dos Estados Unidos, selecionado e preparado por um brasileiro que vive por lá, complementa e amplia ainda mais o conteúdo que as publicadoras brasileiras da Acta já produzem.