Vale a pena ver de novo?

Relembre os eventos imprevisíveis de 2017 e descarte de uma vez por todas a tentativa de adivinhar 2018.

Compartilhe:
Vale a pena ver de novo?

Hoje bateu aquela sensação de ressaca, de moleza generalizada, quase uma dificuldade de locomoção. Não é nada fácil enfrentar novamente a rotina no dia seguinte à esbórnia natalina, diante da sensação de ter ultrapassado todos os limites humanos nas 500 refeições feitas em apenas dois dias.

Você piscou e, quando se deu conta, aquele tender dominou seu corpo todo, e a cervejinha e o prosecco mandaram avisar que não pretendem te deixar tão cedo.

Como começar 2018 assim? Será que dá tempo de reparar o estrago?

Não sei se você percebeu, mas muita coisa se passou em 2017 sem que você se desse conta. Ou sem que visse qualquer resolução.

Foi neste ano, bem no comecinho mesmo, que o então ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, na época relator dos processos da Lava Jato, morreu em um acidente aéreo que despertou uma série de teorias envolvendo uma suposta conspiração para seu assassinato.

Foi em 2017 que assistimos a três ex-governadores do Rio de Janeiro serem presos; que funcionários públicos deixaram de receber salários, colocando um sinal de alerta no mito da estabilidade e segurança da carreira; que as reformas trabalhista e previdenciária despertaram um clima de Fla x Flu no país; que a Polícia Federal estabeleceu um novo recorde de apreensão, ao apanhar malas com nada menos que 51 milhões de reais em espécie.

Foi também neste ano que nos debruçamos sobre uma gravação e todos nos transformamos em peritos para descobrir até que ponto as declarações do presidente Michel Temer foram ou não editadas para provar se ele teria de fato dado o aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha — o que em nada mudou seu status presidencial, diga-se de passagem.

“Tem que manter isso, viu?” foi uma das frases mais icônicas de 2017.

Denúncias de assédio generalizadas, discussões sobre censura no mundo das artes, medo de uma possível guerra entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos. Sororidade, Despacito, Maluf preso. Tudo obra de 2017.

Está lembrado que foi nesses últimos meses que a XP, que sempre pregou o lema da “desbancarização”, fechou acordo para venda inicial de 49,9% para o Itaú por surpreendentes 5,7 bilhões de reais?

OS DESTAQUES DE 2017

Furacão Irma, iPhone 8, iPhone X, Matt Lauer e Meghan Markle.

Eis um resumo dos principais interesses do mundo em 2017, com base nos termos mais procurados no Google. Catástrofe, tecnologia, escândalo sexual e realeza.

Se o retrato estivesse concentrado apenas do Brasil, teríamos Big Brother Brasil, Tabela do Brasileirão, Enem, Marcelo Rezende e O Chamado. Que tal?

Infelizmente, questões econômicas ainda passam longe da nossa atenção, mas arrisco dizer que Bitcoin deve liderar com folga a lista, talvez seguido pela liberação dos recursos das contas inativas do FGTS.

Retomada do crescimento do PIB, inflação abaixo da meta oficial do governo e despencada dos juros básicos de 13,75 para 7%? Creio que esses tópicos não passaram nem perto das discussões das rodinhas de Natal, estou certa?

Como essa tríade importa, e muito, para nosso cenário de 2018, recomendo a você acompanhar de perto os efeitos dessas mudanças ao longo do próximo ano.

Temos eleições à frente e, se nos basearmos em 2017, devemos nos preparar para muitas emoções pelo caminho. É para ter medo? Um pouco é sempre bom. Isso nos ajuda a lembrar de controlar nossos impulsos e a manter um pouco do dinheiro em ativos seguros, seguir com a tal proteção da carteira, como o Felipe sempre, sempre, sempre nos alerta.

Mas muito mais importante do que tentar adivinhar o que vai se destacar e o que vai apanhar em 2018 é ter em mente que imprevistos vão ocorrer, e que você terá que manter ainda mais a calma e se preparar para a tal volatilidade.

Um dia após o outro, sem medidas desesperadas ou tentativas de prever o futuro. Menos pode ser mais.

Um abraço e um ótimo começo de 2018! De preferência, ainda mais bem informado.

P.S. 1: vale a pena conferir o vídeo do Google com uma pequena retrospectiva de 2017. É de emocionar!

P.S. 2: já garantiu seu livro Você Investidor – Tudo o que você sempre quis saber e nunca teve coragem de perguntar sobre investimentos? Corra para começar o ano com o pé direito em suas finanças!