Carta aberta a Mu Hak You (leia enquanto é tempo)

Fui surpreendida nesta semana por uma notificação extrajudicial ao portal Seu Dinheiro, parceria entre o Estadão e a Acta Holding, dona da Empiricus, em nome […]

Compartilhe:
Carta aberta a Mu Hak You (leia enquanto é tempo)

Fui surpreendida nesta semana por uma notificação extrajudicial ao portal Seu Dinheiro, parceria entre o Estadão e a Acta Holding, dona da Empiricus, em nome de Mu Hak You e sua gestora GWI.

Peço licença a você para assumir neste espaço outro papel, o de diretora de Conteúdo do Seu Dinheiro, em nome da defesa ao investidor minoritário que assumimos aqui.

Na notificação, os advogados do discreto gestor coreano acusam o Seu Dinheiro de construir “uma verdadeira empreitada no sentido de desmoralizar, colocar em cheque [sic] e verdadeiramente atingir a figura, imagem e condutas adotadas” por Mu Hak You e pela GWI.

O documento faz referência ao conteúdo publicado no Seu Dinheiro com o intuito de alertar o investidor minoritário de Gafisa sobre os absurdos que têm acontecido na companhia, em especial a duas reportagens.

Leitura recomendada

Nosso editor André Franco encontrou, em Nova York, uma única criptomoeda com potencial para multiplicar seu dinheiro em 93 vezes . E, se você está preocupado com a queda do mercado de cripto, saiba que essa valorização astronômica tem TUDO A VER com a recente queda do Bitcoin. Acesse aqui e entenda tudo sobre essa oportunidade de multiplicação, que estamos chamando aqui na Empiricus de A CHANCE DO SÉCULO.

Não pretendo atender ao pedido do investidor coreano de retirá-las do ar, mas sugiro que você leia logo para o caso de algum revés na Justiça: Como o desrespeitado gestor Mu Hak You tomou o poder na Gafisa e Gafisa: por que você deve manter distância desta ação.

A primeira é uma reportagem escrita pela jornalista Ana Paula Ragazzi, com a propriedade de quem cobre o mercado de capitais brasileiro há 20 anos. E a segunda, uma coluna de Daniel Malheiros, CFA e especialista em mercado imobiliário.

Sobre razoabilidade

Mu Hak You e seus advogados alegam que o tom das matérias extrapola totalmente os padrões de razoabilidade aplicáveis à atividade jornalística. No meu entendimento, é o comportamento do gestor que extrapola os padrões de razoabilidade aplicáveis à atuação no mercado de capitais. E, por isso, o Seu Dinheiro cumpre seu papel de jogar luz sobre ele.

No dia 25 de setembro, Mu Hak You tomou o controle da Gafisa, destituiu o conselho de administração da empresa e elegeu um novo, em que ocupa cinco das sete cadeiras.

Do dia para a noite, as milhares de pessoas físicas que investiram na empresa passaram de acionistas de uma companhia de capital pulverizado a minoritários, sem direito de escolha, conforme destacou a Ana Paula Ragazzi em sua reportagem.

Isso porque, em janeiro de 2018, com 27 por cento das ações da Gafisa, a GWI chamou uma assembleia para alterar uma cláusula do estatuto da empresa, o que claramente viria a prejudicar os minoritários em seguida.

Em companhias sem a figura de um controlador, essa cláusula costuma definir que se um acionista alcançar um percentual relevante de ações, que na prática lhe dê a capacidade de definir os rumos do negócio, ele deve fazer uma oferta por toda a companhia, acrescida de um prêmio.

A GWI conseguiu elevar esse percentual de 30 por cento para 50 por cento, se eximindo de ter que recompensar o minoritário pelo rearranjo inesperado.

O que diz o passado

A notificação recebida defende uma tentativa reiterada do Seu Dinheiro de tachar Mu Hak You como “indivíduo supostamente de trajetória negativa”. Reitero: o investidor coreano tem uma reputação bastante negativa no mercado, tanto nas tentativas de tomar o controle de uma empresa brasileira, quanto na própria gestão de fundos.

No mercado de fundos, Mu Hak You e sua gestora já trouxeram prejuízos a investidores ao alavancar posições em Bolsa, tornando-se um emblemático e raro caso em que o cotista do fundo não somente perdeu o dinheiro investido como foi chamado a aportar mais para cobrir o prejuízo com a operação irresponsável.

Veja abaixo o gráfico que mostra uma dessas derrocadas. O fundo chegou a ter patrimônio de 391,82 milhões de reais.

Como diretora de conteúdo do Seu Dinheiro, informo a Mu Hak You e aos gestores da GWI que manteremos o conteúdo no ar, ao menos enquanto for permitido judicialmente, sem retratação.

Aproveito para reforçar aqui o compromisso do Seu Dinheiro em denunciar comportamentos que colocam em risco os ganhos do investidor pessoa física em Bolsa. E destaco que usaremos a linguagem necessária para alertar o minoritário sobre tais ameaças.

Para ler a carta aberta a Mu Hak You na íntegra, siga por aqui.

SEU FUNDO

Apesar de trabalhar há anos no mundo dos investimentos, nunca comprei uma ação. Se você é leitor assíduo desta newsletter, já deve saber que prefiro delegar a escolha das melhores empresas para se investir a especialistas.

Hoje vou falar sobre gente nova e muito boa nessa análise, com experiência nos dois lados do balcão: a HIX Capital, comandada pelos irmãos Rodrigo e Gustavo Heilberg.

Herdeiros do grupo Scalina, das marcas Trifil e Scala, eles cresceram acompanhando a evolução do varejo brasileiro e aprenderam na prática os desafios e as estratégias envolvidas na gestão de uma empresa líder de mercado.

Quase que como um passatempo, resolveram aproveitar essa expertise em economia real e montaram um clube de investimentos, para gerir o dinheiro de amigos e familiares. Para isso, contaram com mais um sócio: Caio Lewkowicz, que trouxe a experiência de quem trabalhou nas renomadas gestoras Pátria e Tarpon.

A ideia deu tão certo que, em 2012, os três fundaram a HIX Capital. A missão dos sócios é caçar empresas de qualidade, com grande potencial de valorização e ações negociadas a preços abaixo do valor intrínseco.

A origem das teses tem como base muita discussão e pesquisa, além de foco, já que os ciclos empresariais são de longo prazo. “Somos chatos e detalhistas no processo de investimentos”, confessou o Rodrigo para mim.

Um diferencial é que a casa tem flexibilidade para escolher investir em empresas independentemente do tamanho; o portfólio é dividido entre large, middle e small caps.

Isso é especialmente interessante porque, segundo especialistas, o otimismo atual com a Bolsa tende a ser seguido por uma segunda onda de ganhos, em que as protagonistas serão as empresas de menor porte. Esse movimento pode até demorar, mas só vai tirar proveito quem se antecipar a ele.

Os gestores contam com essa perspectiva favorável para superar um desempenho mais fraco em 2018, em que o retorno tem sido penalizado por um papel em especial, o da farmacêutica Biotoscana. As ações da companhia vêm em forte queda desde que foi anunciado o rompimento de uma parceria, em maio.

Engana-se quem pensa que a HIX desistiu do investimento. Ao contrário, aproveitaram o preço mais baixo e aumentaram a participação na empresa de medicamentos, depois de mais de 70 reuniões com os executivos para entender o caso.

Gustavo defende que, no trabalho de gestão, é preciso saber separar fatos de ruídos e que, principalmente no caso das small caps, o importante é ter disciplina e convicção.

É um investimento para pacientes. Se você não tem condições de deixar o dinheiro parado por, no mínimo, um período de três a cinco anos, é melhor nem olhar para um fundo como esse.

Quer conhecer melhor o fundo? Então venha por aqui.