Um novo nome, novas perspectivas

valor-imob

Caro Leitor,

Quem trabalha no mercado financeiro conhece desde cedo um conceito chamado mandato. Você é contratado para atingir objetivos específicos e tudo que estiver fora deste escopo “está fora do mandato”.

Uma empresa industrial, por exemplo, pode cair na tentação de virar uma empresa financeira e tomar riscos diferentes daqueles esperados. Pode ser que faça aplicações financeiras de alto risco. Mas, se fizer, logo o mercado irá comentar que a empresa está saindo do seu mandato, ou seja, os comentários serão de que o investidor não comprou um banco, mas sim uma empresa industrial.

E ao escrever esta série, nosso mandato é específico e vantajoso para todos nós. É nossa responsabilidade contar a vocês o que estamos vendo no mercado. Nossa opinião. Não há necessidade de indicar investimentos só por fazê-lo. Não recomendaremos negócios desvantajosos para você. E, às vezes, o mais difícil é não fazer nada e esperar o momento certo.

Nesses poucos meses em que conversamos aqui, fizemos várias recomendações para você não entrar em negócios que não valem a pena. Mas quando entendemos que estamos diante de um bom negócio, queremos ser os primeiros a alertar.

Nosso mandato é claro. Estamos aqui todas as semanas com um único objetivo: queremos construir riqueza em seus negócios imobiliários por meio do conhecimento.

Valor Imobiliário

Nossas novas perspectivas virão acompanhadas de novas surpresas. A proposta interna para um novo nome – um nome que identificasse perfeitamente esse mandato – fez com que olhássemos para este conteúdo com olhar renovado. A nova série se chamará Valor Imobiliário –, pois nossa maior preocupação é a sua construção de riqueza, aqui, com bens imobiliários.

E aproveitando o ensejo, convido você a conhecer a nova proposta da série Valor Imobiliário.

Duas notícias negativas para financiamentos imobiliários

A ABECIP (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) divulgou os números dos financiamentos imobiliários no Brasil para fevereiro de 2015. O volume em R$ (real) caiu 27% em relação a fevereiro de 2014. Um segredinho aqui é a data do Carnaval – em 2014 o feriado caiu em março e, em 2015, em fevereiro, certamente impactando o ritmo de negócios do mês.

Mas, se olharmos um período um pouco mais longo, ainda assim encontraremos más notícias. Considerando o período de março de 2014 a fevereiro de 2015, a queda das unidades financiadas foi de 4,8% na comparação com os doze meses anteriores.

Para entender um pouco melhor como isso funciona, é importante dizer que essa estatística mistura o financiamento da aquisição com o financiamento da construção e, infelizmente, neste momento não sabemos qual é a distribuição entre um e outro.

Meu feeling aqui é: se separarmos a aquisição da construção, os números serão ainda piores e indicarão o comportamento de retranca nos financiamentos que comentamos frequentemente. Financiamento é o coração do segmento imobiliário em qualquer lugar do mundo.

E está faltando sangue no sistema

Como se não bastasse, em março a poupança bateu recorde de resgates líquidos novamente – os saques chegaram a R$ 11,4 bilhões – maiores do que as captações do mesmo mês. Com isto, os três meses de 2015 acumulam saques líquidos de R$ 23,2 bilhões. O pior número da série histórica desde 1995.

Se o financiamento é o coração do negócio imobiliário, a captação de poupança é o sangue. Nem preciso explicar mais.

Estes grandes saques podem ser explicados pela inflação alta e pelo orçamento mais apertado das famílias – que por um lado sacam a poupança para fechar o mês, e por outro, veem a falta de atratividade do retorno desta como aplicação, e isso agrava a situação.

Se, neste momento, você está coçando a cabeça porque tem muitos recursos aplicados em poupança – sugiro analisar com urgência a Carteira Empiricus. Ela tem apresentado desempenho muito superior ao da poupança e de outras aplicações, como o CDB / CDI, gerando retorno 153% superior ao CDI no mesmo período. É uma proposta única, pois envolve a recomendação da alocação completa de suas aplicações em todas as classes de ativos.

Brás versus Shoppings??? → Conteúdo exclusivo PRO

 

Preços que nem olho de boneca → Conteúdo exclusivo PRO

 

Hot Points: ainda tem lugares com preços subindo! → Conteúdo exclusivo PRO

Até semana que vem.

Abraço,
Marcio Fenelon

Conteúdo relacionado